Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Agosto 14, 2022

SEMINCI à descoberta dos cineastas do futuro

José M. Bastos
José M. Bastos
Crítico de cinema

À semelhança do que acontece na maior parte dos festivais de cinema a SEMINCI – Semana Internacional de Cinema de Valladolid, cuja 62ª edição decorre até ao próximo dia 28, tem também uma secção (competitiva), Punto de Encuentro, destinada à apresentação de primeiras ou segundas obras dos seus autores. Filmes de ficção, supostamente com uma boa dose de inovação quer ao nível do argumento quer quanto aos recursos estilísticos. Note-se que há também algumas obras nestas circunstâncias a concorrer na secção oficial do certame. A mostra ‘vallisoletana’ tem, ao longo da sua história, cumprido exemplarmente esse papel de descoberta e são vários os cineastas, hoje consagrados, que nela se apresentaram no início das suas carreiras.

Nesta SEMINCI/2017 são 14 os filmes seleccionados para a secção Punto de Encuentro, oriundos da Tunísia, Lituânia, Argentina, Brasil, México, República Checa, Israel e Canadá. Obras que não ignoram grandes temas dos nossos dias como a imigração e o desemprego ou que se focam nas vivências da infância e da juventude e da relação destas com os ambientes familiares e sociais obviamente condicionados pelos enquadramentos culturais e/ou religiosos dos países em que ocorrem.

Alguns destaques… entre eles um brasileiro

‘Jia Nian Hua’, de Vivian Qu

‘Spína’, de Tereza Nvotová

Apesar de serem obras de cineastas em início de carreira, algumas delas chegam a Valladolid com um currículo já assinalável. É o caso de ‘Jia Nian Hua’ (Angels Wear White) da chinesa Vivian Qu, que participou nas secções oficiais de Veneza, Toronto e Londres. Nesta segunda obra, a autora, também guionista e produtora, e que com o seu primeiro filme participou em mais de 50 festivais (com Veneza à cabeça), aborda a história de duas estudantes adolescentes que são assaltadas num motel por um homem de meia idade. Tema semelhante, no caso o de uma rapariga que é violada por um professor e que tenta a todo o custo ocultar o seu drama, é tratado pela eslovaca Tereza Nvotová em ‘Spína’ (Filthy) filme vencedor do FEST/2017 (Espinho), premiado no Festival de Košice (Eslováquia) e exibido em Karlovy Vary.

‘Aala Kaf Ifrit’, de Kaouther Ben Hania

‘As Duas Irenes’, de Fabio Meira

Outra violação, e a procura desesperada de justiça pela jovem violada, é o tema de  ‘Aala Kaf Ifrit’ /Beauty And The Dogs, segunda longa metragem da tunisina Kaouther Ben Hania. Realizado a partir de uma história publicada num jornal da Tunísia, o filme participou na secção ‘Un Certain Regard’ do Festival de Cannes e trata de um caso em que os violadores são dois elementos das forças policiais.

Também a destacar, a presença de ‘As Duas Irenes’, filme de estreia do brasileiro Fabio Meira. Irene, uma rapariga de 13 anos, filha de uma família rica e tradicional, que vive numa pequena cidade no interior do Brasil, descobre que o pai tem outra filha da mesma idade e com o mesmo nome. Em segredo, encontra-se com a irmã e começa a confrontar o pai com um jogo de segredos e mentiras. Presente no Festival de Berlim, ‘As Duas Irenes’ foi muiti-premiado nos festivais de Gramado (Brasil) e Guadalajara (México). Estreou no Brasil há pouco mais de um mês.

Outros filmes em competição

A lista dos restantes competidores de ‘Punto de Encuentro’ é a seguinte:

  • ‘Adiós entusiasmo’ (Argentina/Colombia), primeiro filme de Vladimir Durán;
  • ‘Arpón’, produção argentina, do realizador venezuelano Tom Espinoza. Esteve nos festivais de Varsóvia e Chicago;
  • ‘Ayúdame a pasar la noche’, obra de estreia do mexicano José Ramón Chávez Delgado;
  •  ‘En Haporetzet (The Burglar), segunda filme da israelita Hagar Ben-Asher;
  • ‘Hoy partido a las tres’, primeira longa-metragem da argentina Clarisa Navas;
  • ‘Napadid Shodan’  segunda obra do iraniano Ali Asgari;
  • ‘Never Steady, Never Still’, estreia da canadiana Kathleen Hepburn;
  • ‘Paris La Blanche’,  segundo filme da francesa, nascida na Argélia, Lidia Leber Terki;
  • ‘Stebuklas’ (Miracle), trabalho da lituana Egle Vertelyte;
  • ‘Sventasis’ (The Saint), primeiro filme de outro lituano: Andrius Blazevicius.

Júri da secção Punto de Encuentro

Stefan Ivančić

Lamis Ammar

Gerardo Morán

Os membros do júri desta secção são o realizador e produtor sérvio Stefan Ivančić, programador da secção ‘Pardi di domani’ do Festival de Locarno e director de programação do Festival de Pancevo (Sérvia), a actriz palestiniana Lamis Ammar, protagonista de ‘Elite Zexer’ que no ano passado competiu na secção oficial da SEMINCI e o produtor mexicano Gerardo Morán.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -