Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Dezembro 1, 2022

Sonho

Poema de Tassyla Queiroga

Sonho

até hoje o personagem de criança precoce
me chamam de ingênua, e acho elogio
acho que o orvalho é a saliva das flores
acho que trovão é um raio que explode
o desenho dos dedos é o toque
a esperança do recomeço
dorme dentro do sonho.
mas é tarde o bastante
pra que eu acorde.


por Tassyla Queiroga, Poeta, mestre em Direitos Humanos, viajante inquieta, apaixonada pela América Latina  |  Texto original em português do Brasil

Exclusivo Editorial PV / Tornado

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anterior
Próximo artigo
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -