Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Setembro 18, 2021

Teolinda Gersão, 40 anos depois: “Estou sempre a recomeçar”

J. A. Nunes Carneiro, no Porto
Consultor e Formador

O Regresso de Júlia Mann a Paraty  |  Porto Editora

No momento em que se assinalam os 40 anos da sua vida literária, o que representa, no contexto da sua obra, o livro “O Regresso de Júlia Mann a Paraty”?

É um livro em muitos aspectos diferente dos outros, o que me agrada. Estou sempre a recomeçar, como se cada livro fosse o primeiro, embora haja uma coerência interna muito forte em tudo o que tenho escrito.

Qual a ideia que esteve na base destas três novelas?

Iluminar a figura de Júlia Mann, mãe brasileira de Thomas e de Heinrich Mann, uma mulher extraordinária, que morreu em 1923 mas viveu corajosamente muito à frente do seu tempo, sem desistir de ser ela própria, e pagou por isso um alto preço.

Que balanço faz destes 40 anos, muitos livros e vários prémios?

Desengane-se quem julgar que as carreiras artísticas não são duras e cheias de espinhos. Nunca nada está garantido, estamos sozinhos e sem rede. Se não houver uma certeza interior muito forte e capacidade de relativizar, podemos ficar demasiado vulneráveis. Exemplos de escritores suicidas não faltam … Há algum tempo um amigo preocupado enviou-me um artigo sobre isso. Mas sempre me senti suficientemente forte. A literatura é sem dúvida para mim um aspecto central, mas há muito mais do que literatura na minha vida: as pessoas que amo, a sociedade, o país e o mundo de que faço parte. A consciência disso e o compromisso social são securitários. Cada um de nós é sempre muito relativo e pouco importa. Darei sempre o meu melhor, e depois desapareço e os livros seguirão o seu caminho. Se, ou enquanto, sobreviverem.

Um escritor não costuma ter filhos e enteados mas, permita que lhe pergunte: dos que até agora publicou, qual o seu livro preferido?

É como diz, não tenho filhos e enteados, os livros são todos “filhos”… Cada um surgiu num determinado momento, em circunstâncias específicas, e dei-lhe o melhor de mim, como sempre faço.Foi o livro certo, de cada vez. É assim que continuo a considerá-los…

Tem uma ideia de quem são os seus leitores?

Suponho que serão muito variados, com interesses e características diversas, mas na verdade não faço a menor ideia, é um assunto em que nunca penso. Acredito que os livros encontram  por si os seus leitores, haverá alguém que se identifica com eles e com as personagens, ou algumas delas, e os torna “seus”. É o acontece aliás comigo, enquanto leitora. E acredito que acontece a toda a gente…

Se pudesse, qual seria a obra de outro autor que, pela sua qualidade e originalidade, gostaria de ter escrito?

Gostaria de ter escrito muitos desses livros … Não seria de certeza o Ulisses de Joyce, nem o seu Finnigan´s Wake. Mas poderia ser, por exemplo, qualquer um de Tolstoi. Ou a Madame Bovary de Flaubert.

O que anda a ler por estes dias?

Estou a reler Borges, que aliás não é um dos “meus” escritores. E o livro de Alberto Manguel, Com Borges. É também é um modo de agradecer a este escritor ainda vivo a oferta preciosa da sua biblioteca a Lisboa. Com os meios tecnológicos de hoje, ela vai ficar, felizmente, disponível para o mundo. Mas fico-lhe imensamente grata pela escolha de Lisboa como o seu lugar físico. É uma honra e um privilégio para todos nós.

Pensando no futuro: o que está a escrever neste momento?

Um novo livro, claro. Ainda não sei o título, nem que forma tomará, mas o processo já começou, e só terminará quando  tudo ficar muito claro e transparente, dentro e fora de mim, e puder ser partilhado com quem o quiser ler.

 

Teolinda Gersão

O regresso de Júlia Mann a Paraty

Porto Editora  15,50€


Exclusivo Tornado / Novos Livros


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -