Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Julho 14, 2024

Ulisses Enganando Polifemo, William Turner

Guilherme Antunes
Guilherme Antunes
Licenciado em História de Arte | UNL

“Ulisses Enganando Polifemo”, de William Turner. Joseph Mallord William Turner foi pintor inglês, considerado um dos precursores da modernidade na pintura.“Odisseia” é quanto a mim, o mais belo livro alguma vez escrito, de muito perto, é claro, com A Divina Comédia. Ulisses e doze amigos ficaram prisioneiros do gigante, havia que libertar-se e prosseguir.

Esta pintura, que se baseia num quadro da obra literária, tem efeitos cromáticos notáveis de onde sobressai uma força imensa, poderosa, incontrolada (diria eu) da natureza, que faz mísera a representação humana. É um imaginário arrebatador, semelhante amanhecer, que faz das Nereidas aquelas fosforescências que rodeiam o barco. Consegue-se perceber o terrível gigante Polifemo através da silhueta.

William Turner 1775-1851

Joseph Mallord William Turner considerado por alguns um dos precursores da modernidade na pintura, em função dos seus estudos sobre cor e luz.

Em 1789, ingressa na Real Academia de Artes de Londres. Começou como pintor topográfico e pouco a pouco foi se inclinando para as paisagens, principalmente as marinhas. Em 1802 foi admitido como membro da Academia de Londres. Algum tempo depois, fez sua primeira viagem ao continente. Ficou entusiasmado com a pintura dos grandes mestres no Museu do Louvre. Lorrain e Poussin eram seus pintores preferidos.

Turner dedicou-se à pintura da paisagem com paixão, energia, força, interpretando seus temas de forma ética. Os seus trabalhos transmitiam uma emoção extrema e foi considerado o ponto culminante da paisagem romântica. Turner foi extremamente precoce, brilhante e bem sucedido. Iniciou na arte aos 13 anos com seus desenhos e com 15 anos atingiu sua reputação. Era um homem solitário, sem amigos e quando pintava não permitia a presença de pessoas, mesmo que fossem outros artistas.

De 1830 a 1840, Turner deixou de lado a forma e criou espaços voláteis de nuvens e cores, como em Chuva, Vapor e Velocidade (1844), por exemplo, que remete aos quadros abstractos do século XX. Não é sem motivo que foi qualificado por muitos historiadores como o primeiro pintor de vanguarda.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -