Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

“Vitalina Varela”, filme de Pedro Costa, continua a somar prémios

José M. Bastos
Crítico de cinema

Agora foi no Festival Internacional de Cinema de Gijón

No passado mês de Agosto o filme “Vitalina Varela” de Pedro Costa foi o grande vencedor do Festival de Cinema de Locarno onde conquistou o ‘Leopardo de Ouro’ para o melhor filme, o ‘Leopardo de Prata’ para Vitalina Varela pela melhor interpretação feminina e uma menção especial do júri ecuménico.

Em Outubro, no Festival de Chicago, obteve o Prémio do Júri – ‘Hugo de Prata’.

No mesmo mês conquistou o prémio para o Melhor Filme no Festival de La Roche-sur-Yon, cidade francesa da região do Loire.

Já este mês, na Argentina, no Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata venceu os prémios de Melhor Realizador (Pedro Costa, ex-aequo com a realizadora alemã Angela Schanelec), Melhor Actor (Ventura) e Melhor Direcção de Fotografia (Leonardo Simões).

As distinções mais recentes ocorreram no passado sábado no Festival Internacional de Cinema de Gijón, no norte de  Espanha. O filme foi galardoado com os prémios Principado de Astúrias para Melhor Filme e Melhor Fotografia. Nas considerações que elaborou sobre o filme o júri do certame asturiano referiu que “a sua absoluta protagonista surgiu das sombras como uma figura mítica e eterna. Os seus olhos são como pilares enérgicos de um mundo que pede transformação e uma nova ordem. A história do cinema já conta com um novo rosto”.

Porventura o cineasta português em actividade com maior reconhecimento internacional, Pedro Costa tem realizado a maior parte das suas obras cinematográficas nos bairros periféricos de Lisboa maioritariamente habitados por comunidades de imigrantes, sobretudo cabo-verdianos. As personagens, pessoas reais que desempenham episódios reais das suas vidas, vão passando de filme para filme.

Vitalina Varela é uma cabo-verdiana de 55 anos que vinda de Cabo Verde se instalou no Bairro das Fontaínhas. Foi personagem e intérprete de “Cavalo Dinheiro”, obra realizada por Pedro Costa em 2014. Agora, no filme que tem o seu nome, dá corpo à figura de uma mulher que, depois de esperar 25 anos por um bilhete de avião, chega a Lisboa três dias depois do funeral do marido.

“Vitalina Varela”, que estreou nas salas portuguesas em 31 de Outubro, foi ontem exibido em Coimbra nos ‘Caminhos do Cinema Português’ e vai dentro de dias ser apresentado no ‘porto/post/doc’. No final do próximo mês de Janeiro competirá no Festival de Cinema de Roterdão.


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -