Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Outubro 26, 2021

Vladimir Maiakovski: Meu maio

Maior poeta russo do século 20, Vladimir Maiakovski (1893-1930) defendia que “sem forma revolucionária não há poesia revolucionária”. Sua obra ajudou a verter para a poesia os ideais da grande Revolução Russa (1917) e foi traduzida, no Brasil, por nomes do porte de Boris Schnaiderman e os irmãos Augusto e Haroldo de Campos. 

Meu Maio, poema de Maiakovski que se reproduz hoje, Dia Internacional do Trabalhador, está entre suas melhores composições. Confira.

Meu maio

por Vladimir Maiakovski

A todos
Que saíram às ruas
De corpo-máquina cansado,
A todos
Que imploram feriado
Às costas que a terra extenua –
Primeiro de Maio!
Meu mundo, em primaveras,
Derrete a neve com sol gaio.
Sou operário –
Este é o meu maio!
Sou camponês – Este é o meu mês.
Sou ferro –
Eis o maio que eu quero!
Sou terra –
O maio é minha era!


Texto original em português do Brasil

Exclusivo Editorial PV / Tornado


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -