Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Outubro 5, 2022

As vinhas da ira, Steinbeck

Beatriz Lamas Oliveira
Beatriz Lamas Oliveira
Médica Especialista em Saúde Publica e Medicina Tropical. Editora na "Escrivaninha". Autora e ilustradora.

“Eu quero pôr um letreiro de vergonha nos bastardos gananciosos que são responsáveis por esta Grande Depressão e pelos seus efeitos”.
Jonh Steinbeck

O que foi o Dust Bowl

Nos anos 30, depois da grande crise económica de 1929, e durando o fenómeno mais de dez anos consecutivos, houve gigantescas tempestades de areia, que como é fácil imaginar foram um desastre ambiental que afundou ainda mais as vidas dos trabalhadores americanos, sobretudo os que viviam em zonas rurais e que dependiam do seu trabalho como agricultores e criadores de gado.

As regiões das Planícies Altas (High Plains) furam fustigadas por secas durante mais de oito anos.

Estas tempestades de areia resultaram da forma como os solos eram intensivamente usados, e que os tornou vulneráveis aos ventos que vinham e deixavam um paisagem de pó.

Um ambiente desprovido de humidade via levantarem-se grandes nuvens de pó e areia tão espessas que escondiam o sol durante dias e angustiantes dias seguidos. Esses dias ficaram famosos como as “brisas negras”.

Hoje a Califórnia está a ser devastada pelos fogos incontroláveis e milhares de famílias ficam sem casa, sem proventos e sem dignidade, pois vão ser deixadas à sua sorte pelo implacável sistema que odeia protecionismos.

O romance As Vinhas da Ira

de Jonh Steinbeck retrata esta dramática realidade.

Disse o escritor

“Eu quero pôr um letreiro de vergonha nos bastardos gananciosos que são responsáveis por esta Grande Depressão e pelos seus efeitos”. Afirma implacavelmente “fiz o mais que pude para esfarrapar os nervos do leitor.” Era evidente a simpatia de Steinbeck para com os emigrantes e o movimento dos trabalhadores, que o podiam ler dado que a prosa do escritor à dramática, simples, acessível. Publicado em Abril de 1939 foi o livro mais vendido nos EUA nesse ano e em fevereiro de 1940 já tinham sido impressas 430.000 cópias.

No romance a família dos Joads, são rendeiros, expulsos da sua terra pelas consequências da depressão económica, pelas tentativas de mudança de práticas agrícolas e acabam por abandonar o Oklahoma natal depois de verem as dívidas bancárias executadas pelos bancos. A família dos Joads são obrigados a abandonar a Califórnia. Compram um camião com o pouco dinheiro que lhes resta e com milhares de outros OKIES  procuraram trabalho, terra, dignidade e um futuro.

Um OKIE é um residente, nascido ou descendente de famílias do estado do Oklahoma. Na década de 1920, na Califórnia, o termo passou a ser sinónimo de migrante muito pobre do referido estado.

O romance As Vinhas da Ira e eu

Steinbeck ganhou o prémio Nobel da Literatura em 1962. Ouvi falar do livro, penso que no último ano do secundário. Pedi à minha mãe que mo comprasse. Ela fê-lo e dias depois disse-me que não mo entregava porque era um livro sem interesse nenhum em que inclusivamente o autor passava páginas e páginas a descrever os efeitos do cuspo num chão de areia seca e ressessa.

Colocou o livro na estante do meu pai, onde o fui buscar quando a poeira assentou.

E Steinbeck entrou na minha vida, às escondidas, como quase tudo o que uma rapariga rebelde escolhe como sendo o melhor. Ou seja, a realidade que lhe tentam denegar.

Ilustração: John Steinbeck, de Beatriz Lamas Oliveira


Por opção do autor, este artigo respeita o AO90


Transferência Bancária

Nome: Quarto Poder Associação Cívica e Cultural
Banco: Montepio Geral
IBAN: PT50 0036 0039 9910 0321 080 93
SWIFT/BIC: MPIOPTPL

Pagamento de Serviços

Entidade: 21 312
Referência: 122 651 941
Valor: (desde €1)

Pagamento PayPal

Envie-nos o comprovativo para o seguinte endereço electrónico: [email protected]

Ao fazer o envio, indique o seu nome, número de contribuinte e morada, que oportunamente lhe enviaremos um recibo via e-mail.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -