Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Julho 5, 2022

Ação pelos profissionais de saúde em Portugal

Neste Dia do Trabalhador a Amnistia Internacional faz um apelo à acção por todos os profissionais de saúde em Portugal que, na actual situação, colocam a sua vida em risco para proteger todas as pessoas, mesmo quando não dispõem da protecção necessária e recomendada.

À Amnistia Internacional chegaram testemunhos de profissionais de saúde que apontaram as carências de equipamentos de protecção individual em diferentes contextos em Portugal. Segundo eles, a falta destes equipamentos é o principal desafio para quem está na linha da frente da resposta à pandemia da COVID-19.

O que lhe pedimos esta semana é que assine a nossa petição e a partilhe com os seus contactos, pedindo-lhes para também assinarem e partilharem, criando assim uma cadeia de solidariedade para garantir a protecção de quem está na linha da frente no combate a esta pandemia.

Esta acção pode ser realizada até ao final de domingo, dia 3 de maio. Depois, fecharemos a petição e iremos entregar todas as assinaturas às autoridades portuguesas, para que, nestes tempos extraordinários, o governo português garanta que as respostas estão à altura do desafio.

 

Porque precisamos de si?

Actualmente, em todo o mundo, milhões de profissionais de saúde saem diariamente de casa, deixando a sua família e com a certeza de que o trabalho já não se faz como dantes.

Chegados ao destino, começa a batalha ingrata para salvarem vidas com recurso limitado ao equipamento de protecção individual de que dispõem. Neste cenário desolador, Portugal não é excepção.

À Amnistia Internacional chegaram vários relatos de profissionais de saúde que denunciam a falta de máscaras, luvas, fatos de protecção, desinfetantes alcoólicos e viseiras de protecção. A estas carências somam-se ainda o stress emocional, o cansaço físico, a burocracia e o medo.

Apenas juntos conseguiremos ultrapassar estes obstáculos e, citando um dos relatos que nos chegou, “para ultrapassar o medo, os profissionais de saúde precisam de material de protecção individual.”

 

O que queremos?

Queremos que o Governo português tome todas as medidas necessárias para proteger quem cuida de nós. Para isso, iremos enviar todas as assinaturas recolhidas na nossa petição ao Primeiro-Ministro António Costa, para que garanta que a proteção de quem está na linha da frente contra a COVID-19 seja, sempre, uma prioridade.

 

Qual é a sua missão?

  1. Assinar a nossa petição, se ainda não o tiver feito: Se a linha da frente cai, cairemos todos: queremos proteção para os profissionais de saúde
  2. Partilhar a petição nas suas redes sociais, convidando outras pessoas a assinarem também.

 

Informação adicional

Para mais informação veja o PDF – Queremos_Protecao_Profissionais_Saude_RAU


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

Além Tejo (1)

Caminhar

Titãs cantam: “Comida”

- Publicidade -