Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Outubro 23, 2021

Anulação de condenações de Lula gera expectativa na internet

Após o Supremo Tribunal Federal (STF) votar, nesta quinta-feira (15), em favor da declaração de incompetência do ex-juiz Sergio Moro e da 13ª Vara Federal para julgar o presidente Lula, a internet explodiu em hashtags e comemorações.

As palavras chave que unem torcidas nas redes sociais se multiplicaram em #Lulinha, #LulaLivre, Lula2022, #LulaInocente, #Lula, #AnulaSTF, #OPaiTáOn, #BrilhaUmaEstrela, #MeuPresidente e #GrandeDia, só pra exemplificar. Sem estarem unificadas, mesmo assim, as tags relativas ao assunto já ocupavam os Trend Topics das redes.

Foi assim, que a internet recebeu a notícia de que a Corte se manifestou pela anulação das condenações de Lula no âmbito da Lava Jato. Lula é inocente e continua elegível, com seus direitos políticos assegurados. Imagens de celebridades e personalidades nacionais e internacionais foram montadas comemorando a inocência de Lula. Ídolos adolescentes com o 13 de Lula aparecem por todo lado.

Por outro lado, setores da imprensa que atacaram Lula por anos, reagiram questionando a decisão e defendendo Sérgio Moro e a Lava Jato.

A defesa do ex-presidente Lula emitiu uma nota (leia a íntegra ao final) logo após a “histórica” vitória declarada no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira. Nela, Cristiano e Waleska Zanin destacam que “a incompetência da Justiça Federal de Curitiba é afirmada por nós, advogados do ex-presidente Lula, desde a primeira manifestação escrita protocolada em Curitiba, em 2016, e foi sustentada em todas as instâncias do Poder Judiciário até chegar ao STF”.

A repercussão entre políticos de esquerda foi de alívio pela justiça tardia, mas certa. Muitos celebraram a vitória de Lula na Justiça, conforme já havia 7 ministros contra 1 votando, numa comparação com o resultado que tirou o Brasil da Copa do Mundo contra a Alemanha.

“Dia histórico. Demorou, mas chegou! Ainda tem muita coisa a ser colocada no lugar, mas a incompetência de Moro era o passo fundamental para isso”, celebrou a presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), que parabenizou Lula pela vitória.

O Plenário analisou a decisão de 8 de março, do ministro Edson Fachin, que determinou a anulação dos processos e o envio destes para a Justiça de Brasília. Votaram a favor da decisão: Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Dias Tofolli, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski e Luís Roberto Barroso. Discordaram apenas Kassio Nunes Marques, Marco Aurélio Mello e Luiz Fux.

O único ponto que ficou em aberto, a ser posteriormente debatido, é se os processos devem ir mesmo para Brasília ou para a Justiça Federal de São Paulo.

 

Suspeição de Moro

A análise da suspeição de Sergio Moro deve ser discutida pelo Plenário da Corte na próxima semana. Assim como o julgamento desta quinta-feira, o tema gera controvérsia, uma vez que a Segunda Turma do STF já se manifestou sobre a matéria.

Em 15 de março, o colegiado concluiu que Moro não agiu como um juiz imparcial e não deu a Lula um julgamento justo. Na sessão de quarta-feira (14), a ministra Cármen Lúcia, uma das que votou pela suspeição de Moro, sinalizou discordar da possibilidade de o Plenário rever essa decisão.

 

Decisão diz respeito apenas a Lula

Ao fim da sessão, o presidente do STF, Luiz Fux, ressaltou que a decisão diz respeito apenas ao caso de Lula, não se estendendo a outros processos. “Para esclarecer, de maneira muito simples, essa decisão não derrui a operação Lava Jato”, disse Fux.

Assim, o ministro deu razão ao que vinham afirmando o presidente Lula e o Partido dos Trabalhadores diante de falsas acusações de que, ao fazer justiça a Lula, o STF estaria beneficiando outros réus.

Como disse Lula mias cedo: “Estou tranquilo. Tem gente que gosta de fazer confusão, dizendo que a anulação dos meus processos é a anulação da Lava Jato. É a anulação do meu caso. A minha briga é com o meu caso específico. Estou discutindo a minha inocência. Se alguém roubou que seja preso”, advertiu Lula.

Leia também a íntegra da nota da defesa de Lula após a “histórica” vitória desta quinta:


por Cézar Xavier  |  Texto original em português do Brasil

Exclusivo Editorial PV / Tornado

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -