Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Junho 22, 2021

Actuel: Que tempos… Que mudanças!

José Mateus
Analista e conferencista de Geo-estratégia e Inteligência Económica

O Actuel foi a maior aventura do jornalismo europeu, pós-II Guerra, é o que penso e atrevo-me a dizê-lo.

A aventura, iniciado em Maio de 1970 (faz 51 anos!), foi atribulada, foi um sucesso, foi pontuada por interrupções mas o seu pivot e também o seu motor foi sempre o Jean-François Bizot.

A segunda fornada do Actuel começou com o fim dos anos 70 e durou uns 15 anos, até 1994 (a primeira fornada tinha começado em 1970 e durou 5 anos).

Para mim, o Actuel é o da segunda fornada, quando Paris vive os tempos da écharppe vermelha de François Mitterrand e o Jean-François Bizot decide que há mais vida para além disso.

Pode-se dizer que o Actuel “fut, entre 1970 et 1995, le journal le plus novateur et révolutionnaire de son temps” e que “il changea la face de la presse”, sim, creio, tudo isso é verdade.

Para mim, porém, pelo que conheci, o Actuel foi sobretudo um mundo onde se escrevia “à la première personne du singulier” e onde do trabalho se fazia “une joie de vivre et d’être”. E isso, sem cair em nostalgias, é inesquecível.

Au revoir, Bizot.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos