Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Agosto 2, 2021

O Camarada Amaral no Congresso do MPLA

Eduardo Águaboa
Escritor, Ensaísta, Comentador político especializado em ideias gerais

eduardo-aguaboaOuvindo o que disse o Deputado do PP em Luanda sobre a presença da extrema direita portuguesa no Congresso do MPLA, levou-me às ligaduras.

Cito e excito:

– Ouvindo o que ouvi aqui até parece que estava num Congresso do PP…!!!

Onde é que eu me magoei?

Foi constatar que os ratos não sabem nada sobre o que roem, nem escolhem o que roem, não amam nem odeiam quem roem, simplesmente roem.

Fui roído e compelido a constatar.

Este homem, que não cheira a flores, não tem vergonha na cara, tem dentes afiados para roer tudo o que lhe apareça à frente e vai continuar a envelhecer neste rumo.

Quando crescer muito, quando for velho, as palavras sérias olharão para ele e dirão:

– Então, pá? Querias morrer descalço, punho erguido e a cantar o Grândola Vila Morena…não era?

O Deputado do CDS/PP que esteve a conspurcar o congresso do MPLA dirá que já nem se lembrava disso. Que só sabe que era uma borboleta….sempre a voar…sempre a envelhecer flutuando para aqui e para ali…sempre em pântanos políticos.

Esse Deputado tem o rosto sinistro de quem sofre de alucinações, e em Luanda quis passar por um Maaloula qualquer, mas só foi merecedor de uma salva de palmas de estupidez.

camarada-amaral

Esta semana teve duas 5ªs feiras.

A das pessoas normais e a do Deputado PP que é de Viseu, mas não parece. Teve o seu dia único, graças a Deus, que só dele, pois o mundo sensato, ajuizado, sério, nem sequer o pôs no mapa.

A borboleta, o Rei Artur do vinho tinto Dão, o lado fingidor de uma 5ª feira em Luanda, passou a ser a minha estória do Era Uma Vez…

Era Uma Vez um Deputado borboleta que foi por aí abaixo, até a Angola, e choveu todo o caminho.

Era Uma Vez, então, um Deputado que perdeu a réstia de juízo que ainda se pensava ter. E então a Minha Vez, deixou de o ser. Lixou-me o livro.

O Camarada AMARAL é uma sátira política.

Alguém que informe o Camarada AMARAL que o mundo precisa de loucos, sim, mas de loucos uns pelos outros.

Não é aquele descaramento oratório, aquela troça, que teve assinatura de um tresloucado capaz de tamanha insanidade política…de tamanha ofensa a quem o convidou.

E até a quem o ouviu.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -