Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Julho 21, 2024

“Curtas de Vila do Conde” com 16 nacionais em competição

 

curtas_2016A secção competitiva nacional leva a concurso realizadores, que vão desde Gabriel Abrantes a Leonor Noivo, que “ilustra a singularidade do cinema português através de um conjunto de filmes que desafiam as fronteiras entre géneros e temas. Esta selecção apresentará obras que provam que o cinema português se renova de forma constante”, divulgou a organização do festival.

O melhor filme receberá um prémio no valor de dois mil euros, inclui obras como “A brief history of princess X”, de Gabriel Abrantes, “A casa ou máquina de habitar”, de Catarina Romano, “À noite fazem-se amigos”, de Rita Barbosa, ou “O dia do meu casamento”, de Anabela Moreira e João Canijo.

Na competição internacional vão estar 38 filmes de autores como Jennifer Reeder, Theodore Ushev, Bertrand Mandico, Deborah Stratman, Salla Tykkä, Ben Rivers e Dustin Guy Defa, onde se destacam ainda, os “emergentes” Nadav Lapid e Konstantina Kotzamani.

Este ano, a retrospectiva “In Focus”, será dedicada à companhia nova-iorquina Bordeline Films, criada em 2003 por Antonio Campos (realizador de “Afterschool”), Sean Durkin and Josh Mond.

Segundo a organização do “Curtas de Vila do Conde”, nesta retrospectiva, “serão exibidos os filmes mais significativos deste trio: as suas curtas-metragens de iniciação e as longas, cujo sucesso crítico tem sido assinalável. Apresentando filmes como ‘James White’, ‘Marta Marcy May Marlene’ e ‘Simon Killer’, esta será uma mostra que permitirá descobrir estes autores e a forma como estão a mudar o cinema americano”.

O festival inclui ainda uma competição experimental, “onde se encontram filmes que desafiam as convenções narrativas e cinematográficas”, presentes nos frames de realizadores como Mike Hoolboom, Daïchi Saïto, Christoph Girardet, Matthias Müller, Siegfried A.Fruhauf ou Jay Rosenblatt.

O “Curtas” conta novamente com uma competição de vídeos musicais, com uma competição direccionada especialmente para o público infantil que dá pelo nome de Curtinhas e a Take One!, reservada a estudantes.

A programação da 24ª edição do “Curtas” irá projectar também diversos trabalhos nacionais que já passaram por outros festivais, mas que “retratam o panorama nacional cinematográfico, incluindo ‘A Balada de um Batráquio’, de Leonor Teles, e ‘Ascensão’, de Pedro Peralta, revelou a organização.

O “Curtas de Vila do Conde” apresenta este ano os filmes-concerto de Jay-Jay Johanson, Tindersticks, The Legendary Tigerman e de The Greg Foat Group.  

Do Rio das Pérolas ao Ave

A ultima vez que vi Macau, Concorso internazionale, from left Joao Pedro Rodrigues director and Joao Rui Guerra da Mata director.
João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata

É a primeira exposição em Portugal de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, realizadores que, assim, se aventuram num projecto transversal, mais relacionado, até, com as artes-plásticas. Composta por instalações concebidas exclusivamente para o espaço da Solar, em articulação com a sua configuração sinuosa e recôndita, esta exposição propõe um percurso lúdico pelo universo dos dois cineastas, procurando estabelecer novos diálogos com os filmes e respectivos processos de produção, numa abordagem muito diferente da que acontece habitualmente na sala de cinema.

A abertura da exposição ocorrerá a 2 de Julho e terá encerramento a 25 de Setembro, terá uma programação paralela, onde a dupla de realizadores vai apresentar “uma misteriosa e histórica carta branca”, revelou a organização esta segunda-feira.

Em complemento à exposição e a convite do festival de cinema de Vila do Conde, João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata vão apresentar “três sessões que vão integrar uma selecção de curtas-metragens escolhidas pela dupla de cineastas, de autores como Buster Keaton, Charles Chaplin, Jacques Tati, Alan Schneider, Jean Genet, Andy Warhol, Kenneth Anger, Jacques Demy e Jean- Luc Godard, entre outros. “São filmes históricos e que desafiam as convenções do cinema narrativo”.

Todos os anos no festival “Curtas de Vila do Conde”, durante nove dias, cineastas, criadores, jornalistas e estudantes, juntam-se a uma audiência exigente e sempre atenta, onde se promove a criatividade e o talento através do cinema de curta-metragem.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -