Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Novembro 28, 2021

Dança

Poema inédito de Alice Coelho

Dança

Dançamos
Com a morte dos dias enfastiados
Com a alvorada das manhãs nuas
Com mentes sem espinhos atados
Desvario de pele em línguas suadas
Valsas lentas em corpos deleitados
Suspiros em música transformados
Dançamos
Em palcos iluminados de misteriosos
O solo que piso é prenúncio de morte
O destino povoa-se num abraço forte
Passos firmes e momentos silenciosos

 

Foto: Claudia Cardinale

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorQuem és tu?
Próximo artigoAdivinho(te)
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -