Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Novembro 28, 2021

Deixem as crianças sossegadas!

Rogério V. Pereira
Estudou Engenharia Química no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Começou a trabalhar como Técnico de Organização Industrial e terminou no topo da carreira, como sénior manager, nas áreas da consultoria em organização e gestão.

Depois de persistente investigação, a ISO reconhece a prática rogériográfica. Com um intervalo de poucos dias, duas notícias:

  • Uma, dando-me conta de que uma organização privada, aceite pela nova competência autárquica, desenvolve em sala de aula uma converseta marada, de introdução ao deus-nos-valha e a introduzir as crianças no ideário do neo-liberalismo;
  • Outra, que me dá muito orgulho, o ter reconhecida a geringonça rogériográfica com a qualificação de, em caso de necessidade, passar atestados de insanidade.

Começando por esta última, é de realçar não serem muitas as instituições nacionais a receber confiança da ISO (International Organization for Standardization, com sede na Suiça) para poder passar, a partir de rogériografias e outras técnicas rogériográficas, atestados de degenerescência do ambiente mental de agrupamentos escolares.

Junto à notificação, seguia o sêlo, com a recomendação do procedimento, nos seguintes termos: que seja, sempre que os agentes rogériografados apresentem sintomas de insanidade, afixados em locais visíveis, à entrada da escola, na secretaria, à porta da sala dos professores e nos gabinetes dos directores,  o símbolo da certificação (e adiantava pormenores sobre locais e dimensões recomendadas).

Também no papel timbrado em toda a correspondência entre a escola e os pais o sêlo deverá se apenso, em local destacado.

Crianças sossegadas?

Percebi que esta honorabilidade me havia de lançar em trabalho árduo, pois logo me ocorreu o que tinha sido a primeira notícia, já referida acima (Denúncia). Dela, destaco este arrepio que (ainda) me percorre a espinha, pois se trata de crianças dos 3º e 4º anos:

«…serão abordadas temáticas como “a importância da moeda e dos bancos, meios de pagamento, crédito, seguros e planeamento e gestão de um orçamento familiar. Desta forma, procura sensibilizar as crianças para as questões da sustentabilidade e cidadania.»

Querem fazer das crianças mentes insanas? Se a ISO me pede isso, desisto!

Nota do Director

As opiniões expressas nos artigos de Opinião apenas vinculam os respectivos autores.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -