Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Agosto 10, 2022

Dia do continente Africano

João Angelino, no Huambo
João Angelino, no Huambo
Jornalista (Estagiário)

“Rei do Huambo” apela aos jovens a contribuírem activamente para o desenvolvimento do Continente Africano.O conselho provincial da juventude do Huambo, realizou ontem, uma tarde de reflexão alusiva ao 25 de Maio, dia do continente Africano, sob o lema: O papel do jovem para o desenvolvimento de África.

O evento teve lugar no espaço da Floresta da Rádio Huambo e reuniu na mesa de Honra O Rei do Huambo, Armindo Tchingolola e o Director Provincial da Cultura, Venceslau Cassesse.

O sonho de todos os africanos era ver uma África independente, uma África livre, uma África em que todas as forças vivas participassem activamente na vida social, politica e económica do Continente. Hoje temos exactamente a África que preconizávamos, lutamos, conseguimos e devemos continuar a lutar para assegurar a nossa integridade territorial, financeira, politica e social.”

De acordo com o secretário em exercício, Sérgio Ramalho, o objectivo foi reflectir sobre a África, justamente nesta data especial em que se celebra o dia do continente.

África é o continente mais rico em recursos naturais e o mais pobre do mundo, a acção dos países europeus durante os séculos XIX e XX, neste continente pode ser considerada espoliação, e deixou-o bastante deteriorado, apesar do seu clima, das suas paisagens, da sua natureza e das suas praias que estão a fazer com que o turismo seja uma fonte de economia, trazendo riqueza e gerando emprego através da construção de hotéis, apartamentos e infraestruturas, bem como o investimento estrangeiro e a expansão do turismo.

África pode ser igual a qualquer outro continente e, para isso, os jovens devem continuar a contribuir para o desenvolvimento sustentável do continente, pois África é o nosso continente, África merece todo nosso contributo, seja na área política, económica, etc. todos, na condição de filhos de África devemos contribuir. África não é dos Governantes, África é daquele proletário lá na esquina, África é do professor na escola, do enfermeiro no hospital, África é todos os seres Humanos que amam o continente Africano e lutam por ela”

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -