Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Dezembro 10, 2023

Elizabeth II gosta muito dos seus “James Bond”

Conhecida apreciadora dos seus “James Bond”, a rainha do Reino Unido Elizabeth II acaba de nomear o ex-patrão do MI5, Andrew Parker, como Lord Great Chamberlain (Camareiro-Mor). Lord Parker torna-se assim o ‘patrão’ da Casa Real, que passa a administrar.
A Monarquia inglesa, desde a sua ruptura com a Igreja de Roma, sempre soube (con)viver muito bem com duas instituições decisivas (que também sempre soube acarinhar): a Grande Loja Unida de Inglaterra e os Serviços Secretos.

É, aliás, muito difícil saber, em certas circunstâncias, onde acaba uma destas três instituições e começa uma das outras… E esta é, muito provavelmente, a mais importante razão de ser da perenidade desta Monarquia.

Já a velha Elizabeth I, da Casa dos Tudor, rainha de 1558 a 1603, deveu a vida, a longevidade do seu reinado e a vitória sobre os seus mortais inimigos (católicos ingleses, a Espanha de Filipe II, o Vaticano e a sua rival da Escócia), ao seu inseparável mestre-espião Lord Francis Walsingham, o mais brilhante pupilo do nosso Antão de Faria e o verdadeiro criador dos “serviços” ingleses (tão secretos que a sua própria existência só foi oficialmente reconhecida em meados do século XX).

Os segredos da monarquia inglesa estão escondidos à vista de todos e, pelo que se vê, a tradição ainda é o que sempre foi. God save the Queen. E os Walsingham de todos os tempos também…


Exclusivo Tornado / IntelNomics

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -