Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Outubro 24, 2021

Fantasma do 11 de Setembro ronda debate republicano

trump-vs-bush
O debate entre os republicanos Donald Trump e Jeb Bush levou o site Democracy Now a convidar David Cay Johnston, vencedor do Prémio Pulitzer e antigo repórter de investigação do New York Times, para comentar o evento.

No passado Sábado, Trump e Bush confrontaram-se num debate em Greenville, Carolina do Sul.

Trump acusou George Bush, ex-presidente dos EUA, de ter cometido um erro ao ir para a guerra no Iraque. “Podemos cometer erros. Mas aquele foi uma beleza. Nunca deveríamos ter estado no Iraque. Desestabilizámos o Médio Oriente”.

E o milionário prosseguiu: “ Gastámos dois triliões de dólares, milhares de vidas. Não temos isso sequer. O Irão está a tomar conta do Iraque, com a segunda maior reserva de petróleo do mundo”.

Donald Trump chegou mesmo a dizer que o seu opositor, aquando do anúncio de candidatura, alternava entre a admissão de que a intervenção militar fora um erro, com dizer o contrário.

Foi o suficiente para Jeb Bush reagir: “estou farto de ver Barack Obama a culpar o meu irmão por todos os problemas que ele teve, e francamente, não me importo com os insultos que Donald Trump me dirige. Ele gosta disso, e fico feliz por ele gostar disso. Mas estou farto dele perseguir a minha família. O meu pai é o maior homem vivo, para mim. E enquanto Donald Trump fazia um reality show, o meu irmão construía um aparato de segurança para nos manter seguros”.

A troca de acusações menos polida prosseguiu: enquanto Jeb Bush acusou Trump de insultar até a matriarca da família, Trump acusou o seu opositor de ter gasto 22 milhões de dólares numa campanha contra ele.

Quando Marco Rubio, outro dos republicanos na corrida, defendeu o ex-presidente dos EUA e irmão do senador pré-candidato, no seu papel aquando dos atentados de 11 de Setembro de 2001, Trump exaltou-se ainda mais e acusou Bush de não ter feito nada pela segurança dos americanos.

“Perdi centenas de amigos”, acrescentou o milionário. Marco Rubio acredita que os atentados poderiam ter sido evitados se Bill Clinton, enquanto foi presidente, tivesse ordenado a execução de Osama Bin Laden, líder da organização terrorista Al Qaeda.

Para Johnston, “os republicanos trabalharam muito para fazer parecer que George Bush não fez asneira, quando fomos atacados, depois de ter sido avisado. E lembro-me dele ter dito ‘O que era suposto eu fazer?’ porque ele não fazia ideia de como agir”, reflectiu.

Alertou ainda para ser muito difícil acreditar que Donald Trump iria respeitar a constituição dos EUA como presidente, dando um exemplo: “reparem quando ele diz ‘durante o reinado de George Bush’ . Os presidentes não reinam”, sublinhou.

Sobre os debates em geral, o convidado do Democracy Now mostrou-se desiludido: “não existe conteúdo neles. E tudo o que temos a fazer é comparar o último debate democrata, onde tivemos Hillary Clinton e Bernie Sanders a falar de assuntos reais – não da forma cuidadosa como eu gostaria”, realçou.

Comparou os republicanos “a um monte de crianças que disputam um brinquedo”: “os republicanos permitiram-se (os outros candidatos) terem Donald Trump a falar de assuntos de personalidade e tópicos que o reforçam”.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -