Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Outubro 17, 2021

A Europa morreu, viva a Europa!

Paulo Vieira de Castrohttp://www.paulovieiradecastro.pt
Autor na área do bem-estar nos negócios, práticas educativas e terapêuticas. Diretor do departamento de bem-estar nas organizações do I-ACT - Institute of Applied Consciousness Technologies (USA).

Piketty é dos poucos economistas que valerá a pena ler. O facto de ser francês ajuda. Não será por isso de admirar que Benoît Hamon, o candidato da esquerda francesa, o tenha escolhido como conselheiro para as questões europeias.

Isso faz de Piketty mais  um opositor a Macron, ex-ministro da economia, que se candidata sob o lema  “En Marche!” (Em frente). Algo que se poderia traduzir para português como “Vamos embora, Leixões!”. Para a gente do mar de Matosinhos este “En Marche!” significa tudo e ao mesmo tempo nada.

Tal será investir no perigo de ter algo que é ao mesmo tempo a resolução e o problema. Acredito que isso não nos poderá levar a lado algum. E, consequentemente, aos franceses também.

Fillon e Macron são demasiado parecidos. Macron é para Piketty  “um ex-banqueiro que se prepara  para entregar prendas aos banqueiros”, ficando assim provada a minha teoria do “Vamos embora, Leixões!” .

Representam a “Europa do Passado” , “a Europa do tratado fiscal de 2012”. Só Hamon poderá retratar condignamente uma europa verdadeiramente democratizada e longe da austeridade, ao que acredita Piketty.

À margem das questões europeias, Piketty, criticou, numa recente entrevista ao canal de televisão BFM TV, a supressão do imposto sobre aquilo a que chama riqueza financeira.

Ele defendeu, ainda, a bondade de um Rendimento Básico Incondicional. Cauteloso, apadrinhou um rendimento cidadão para desempregados, pessoas em formação, ou empregados mal pagos.

Com vários livros editados em português aconselho a sua leitura: Thomas Piketty.

As opiniões expressas nos artigos de Opinião apenas vinculam os respectivos autores.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -