Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Agosto 15, 2022

O Flagelo Ana Gomes

Eduardo Águaboa
Eduardo Águaboa
Escritor, Ensaísta, Comentador político especializado em ideias gerais

ana-gomes

A felicidade tem boa alma, que é coisa que a eurodeputada do PS não tem.
A razão que me leva a escrever isto, é a que entende que a mulher tem tido um comportamento nacional incorrigível.

Lembro-me do temor de Jaime Gama, então ministro dos Negócios Estrangeiros, e ela, por nomeação dos diplomatas, Embaixadora de Portugal na Indonésia.
O homem tinha de lhe telefonar diariamente a ditar-lhe o que a mulher podia dizer, creio mesmo que a obrigava a repetir, vírgula a vírgula.
Naquela fúria de gata brava, dos bons tempos do MRPP, todo o cuidado era pouco.

Como se vê.

Pela mão do inábil Ferro Rodrigues, entra nos quadros do Partido Socialista, para fazer os estragos que tem feito, sem que ninguém, vá-se lá saber porquê, a ponha na ordem, ou seja: na rua.

É que há lugares na política que não existem, para além de estarem só na cabeça dela, mas que insiste em visitar sempre que lhe dão oportunidade para tal, ou então inventa razões para tais investidas.

Depois, está claro, é contra tudo o que mexe. Ela, tenho para mim, mete álcool nas palavras e, já se sabe, quando as palavras bebem ficam louquinhas.

Então, Ana Gomes, é o tormento do Partido Socialista. No Parlamento Europeu, em Portugal e por onde passa. Um rastilho que levou no outro dia um amigo meu a dizer que para ele os símbolos do medo são a Manuela Moura Guedes, a Teresa Guilherme e, a pior, Ana Gomes. Que só de ouvir os nomes entra em pânico. E que Ana Gomes, para além de má pessoa, tem na cara uma cicatriz rancorosa, assustadora. Confesso que quis tranquiliza-lo, mas não encontrei nenhuma réplica competente. Ele, então, foi perturbar a casa de banho e de lá voltou mais calmo e mais aliviado.

Resmungando constantemente injúrias de baixo quilate literário, para debelar esse efeito causado pela eurodeputada um cidadão só tem um recurso: Bazar ou desligar o televisor, com vontade de a mandar para qualquer sítio que a aturem. Porém…

Bruxelas enerva-se.
Lisboa fica fora de si.

Já a Feira de Carcavelos parece mais tolerável.
Será porque lá, onde, ao que parece, ainda é possível fumar becks prensados na Malásia estragados?

Posto isto…

Quantos votos valem ao Partido Socialista esta mulher?
Melhor, colocando la tête dans les nuages, quantos votos perde o Partido Socialista com esta mulher nas listas seja lá para o que for?
Ainda com la tête no mesmo sitio, pergunto, quantos dos leitores convidariam Ana Gomes para dançar?

Então? Fogem??????
Oh, eloquente atitude…como vos entendo…

Mas tranquilizem-se…
Felizmente não há réplicas desta mulher.

Nota do Director

As opiniões expressas nos artigos de Opinião apenas vinculam os respectivos autores e não reflectem necessariamente os pontos de vista da Redacção ou do Jornal.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorEpifania
Próximo artigoA Paulette faz anos e eu pickles
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -