Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Novembro 27, 2021

Glória Maria Marreiros da Cunha

Helena Pato
Antifascistas da Resistência

(N. 1929)

Glória Marreiros é uma mulher invulgar, uma antifascista militante, desde a sua juventude. A diversidade de assuntos que aprofunda, as iniciativas de valorização pessoal que leva a cabo, as acções cívicas e políticas em que se envolve, a tenacidade com que enfrenta todas as adversidades que a vida lhe coloca, mostram bem a fibra desta cidadã.

Glória Maria Marreiros nasceu em Marmelete (Monchique), a 26 de Agosto de 1929. Frequentou a escola primária em  Lagos e, na mesma cidade, em ensino particular, estudou francês, piano e contabilidade.

Mulher invulgar

Parteira diplomada pela Faculdade de Medicina de Coimbra e com o curso de enfermagem psiquiátrica da escola do Hospital psiquiátrico Sobral Cid, também em Coimbra, entre 1954 e 1961, foi parteira na Maternidade Alfredo da Costa, e trabalhou particularmente com o Dr. Pedro Monjardino na preparação e partos pelo método profiláctico «parto sem dor». Em 1962 publicou o seu primeiro livro “Maternidade”na Editora Seara Nova.

Colaboradora e estagiária do psiquiatra João dos Santos e colaboradora de Maria Amália Borges de Medeiros, Glória Marreiros agarrou com paixão o mundo da psicopedagogia e os problemas associados à saúde materno infantil. Foi colaboradora do Centro infantil Helen Keller e diretora e fundador do Jardim Infantil “Giroflé” em Lisboa.

Desde muito cedo militou na Oposição. Participou na campanha presidencial de 1958, tendo então aderido ao Partido Comunista.

Era casada com o engenheiro Henrique Pereira da Cunha [1932-2010], resistente antifascista preso em 1964, julgado e condenado em Tribunal Plenário, e só libertado em 1967, depois de ter passado pelas cadeias do Aljube, Caxias e Peniche.

Os problemas da condição feminina sempre a acompanharam. Foi uma das fundadoras do Movimento Democrático de Mulheres (MDM) e candidata pela CDE (Comissão Democrática Eleitoral), por Lisboa, nas eleições de 1969. Várias vezes interrogada pela PIDE. Integrou a Comissão de Socorro aos Presos Políticos e Famílias.

Antifascista militante, sempre

Já tardiamente, terminou uma Licenciatura em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e uma Pós-Graduação em Museologia Social na Universidade Lusófona. Esteve ligada a diversas iniciativas no campo da museologia.

Entretanto, nunca abandonou a militância cívica e política. De Maio de 1974 até às primeiras eleições autárquicas, fez parte da Comissão Administrativa da Freguesia de S. Jorge de Arroios.

Nas eleições autárquicas de 2013 (com 84 anos), foi candidata a uma freguesia, de Lisboa pela CDU. Actualmente integra associações cívicas, entre as quais o MDM, a União dos Resistentes Antifascistas (URAP) e a Comissão para a Memória do Forte de Peniche.

No início dos anos 70 licenciou-se em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Cerca de 20 anos mais tarde fez uma Pós-Graduação em Museologia Social na Universidade Lusófona.

Escrita: um interesse sempre presente

A escrita esteve desde muito cedo presente na sua vida, tendo começado a colaborar aos 13 anos no jornal “Gazeta do Sul” do Montijo. Mais tarde escreveu para os jornais “República”, jornal de Monchique, “O Olhanense” e para o jornal de Lagos.

Alguns livros publicados

  • Ed. Caminho: Gravidez e Maternidade.
  • LEDA: viveres saberes e Fazeres Tradicionais da mulher algarvia.
  • Livros Horizonte:
    • Um Algarve Outro;
    • Algarve, a gente e o mar (fotos de Júlio Bernardo);
    • Almirante Jorge Ramos Pereira, uma Vida um exemplo (Patrocínio da C.M de Caminha)
  • Ed C.M. de Lagos: Lagos, séc. XVII e séc. XX Recolha Onomástica.
  • Ed. Campo das Letras:
    • O Poço dos desencantos;
    • A saúde dos seus dentes (Com Eduardo Cortez das Neves).

Para Crianças

Numa Roda-Viva. Letras e Algarismos – Palavras e Números. Com Ilustração: Cecília Marreiros Marum. Campo das Letras, 2007; Abecedário a Rimar; Vogais e Consoantes de mãos dadas; Vogais e Consoantes, o carnaval das letrinhas.

Com o intuito de incentivar o gosto pela leitura e pela escrita coloborou com várias escolas do 1º ciclo, (Cascais, Faro, Monchique, S. Brás de Alportel e Silves) tendo sido editados vários títulos em co-autoria com os alunos.

Exemplo: com os alunos do 1º ciclo do Jardim- escola João de Deus de S. Bartolomeu de Messines (Ed da CM Silves, Casa museu João de Deus e Crédito Agrícola):Um Conto com Muitas Estórias.

Edições Colibri: Quem Foi Quem, 200 algarvios do séc. XX. Em final de 2015 também na Colibri, publicou “Algarvios pelo nascimento, Algarvios por coração”.

Participação activa na cultura

Para além de colaborar em exposições temáticas e na elaboração de catálogos no Museu de S. Brás de Alportel, foi Presidente da Assembleia Geral do MINOM (Portugal) (Movimento Internacional para a Nova Museologia. Foi presidente da Assembleia Geral do Clube Estefânea. Pertenceu aos corpos sociais do Cine Clube ABC. Foi Membro do Conselho Superior da Casa do Algarve.

 

Livro Quem foi Quem? 200 Algarvios do Século XX

 

Livro O Poço dos desencantos 

 

Livro Catrina Contos

 

Glória Maria Marreiros, Licenciada em Filosofia

 

Dados biográficos:

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorJosé Casanova
Próximo artigoJosé Soares Martins
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -