Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Julho 6, 2022

Grande Prémio do 38º FANTASPORTO para o filme canadiano “Les Affamés”

José M. Bastos
José M. Bastos
Crítico de cinema

Depois de em 2006 ter conquistado o prémio de melhor realização do festival portuense o realizador canadiano Robin Aubert voltou a ser premiado no Fantasporto.

Les Affamés

Desta feita, além de ter repetido a distinção obtida há doze anos alcançou também o máximo galardão do certame, o Grande Prémio para o melhor filme da principal secção competitiva, a de cinema fantástico. “Les Affamés” junta estes prémios aos que já tinha conquistado em Toronto, Montreal e Madrid.

O filme, uma história de zombies, passa-se numa aldeia do Quebeque em que as coisas mudaram. Alguns habitantes, “Les Affamés”, deixam de ser o que eram e passam a atacar as suas famílias, os seus amigos e os seus vizinhos. Um punhado de sobreviventes dos seus ataques refugiam-se na floresta na tentativa de lhes escapar.

Prémios

“November”, de Rainer Sarnet

Glass Garden

“November”, de Rainer Sarnet, o filme seleccionado para representar a Estónia na lista dos candidatos ao Oscar de melhor filme estrangeiro, obteve também dois prémios neste FANTASPORTO/2018: o prémio especial do júri e o de efeitos especiais. O galardão do melhor argumento foi para “Glass Garden”, do sul-coreano Shin Su-won, de acordo com a sinopse fornecida pela organização, “uma fábula fantástica sobre uma cientista que estuda as árvores e a sua interacção fisiológica com os humanos”.


Ian Veneracion


Jessica McLeod


Belle à Croquer

Os prémios de interpretação foram para Ian Veneracion em “Ilawod” /The Water Spirit, do filipino Dan Villegas e para Jessica McLeod em “The Hollow Child”, filme canadiano de Jeremy Lutter. O prémio de melhor curta-metragem do festival foi atribuído a “Belle à Croquer”, do francês Axel Courtière.

Semana dos Realizadores


True Fiction


Bikini Moon


The Originals

Quanto à  Semana dos Realizadores, o prémio de melhor filme foi atribuído a “True Fiction”, um thriller do sul-coreano Jin-Mook Kim, filme que obteve também o prémio para o melhor argumento. “Bikini Moon”, drama norte-americano realizado Milcho Manchevski foi distinguido pelo júri desta secção com o seu prémio especial , e o egípcio Marwan Hamed foi considerado o melhor realizador com “The Originals”.

Melhor actor / actriz

Eric da Silva

Soho Rezanejad

O melhor actor da Semana dos realizadores foi Eric da Silva no filme português “Uma Vida Sublime”, de Luís Diogo, e a melhor actriz foi Soho Rezanejad em “The Charmer”, filme dinamarquês de Milad Alami.

O vencedor da secção Orient Express foi  “Ajin: Demi-Human” do japonês Katsuyuki Motohiro , “The Butcher, The Whore and the One-Eyed Man”, do húngaro János Szasz, arrecadou o  prémio da crítica e o filme preferido do público foi  “The Child Remains”, do canadiano Michael Melski.

A sessão de encerramento, com a distribuição de prémios, a exibição do Grande Prémio do Festival  e da melhor curta-metragem teve lugar na noite de ontem. Hoje, domingo, a programação das duas salas do RIVOLI é integralmente dedicada à exibição de filmes premiados.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

VER…

Boa pergunta

Além Tejo (1)

- Publicidade -