Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Maio 25, 2022

Há 16 anos morria o bruxo dos blues – Screamin’ Jay Hawkins

SCREAMIN JAY 1
Autor de “I Put A Spell On You” casou seis vezes, esteve dois anos preso e teve dezenas de filhos…

Se há uma figura única, bizarra, no mundo da música, dos blues, ela é certamente Screamin’ Jay Hawkins. Personagem saída de um pesadelo de magia negra e voodoo – uma imagem que o cantor/autor criou e o acompanhou para sempre, desde que, em 1956, lançou uma canção da sua autoria, que é uma das mais famosas de sempre: “I Put A Spel On You”. Há precisamente 16 anos, em Neuilly-sur-Seine, (arredores de Paris) morria este artista, que deixou uma marca rara e precursora.

SCREAMIN JAY 3Jalacy Hawkins, nascido em Cleveland a 18 de Julho de 1929, cedo tentou a sua sorte como músico e cantor de blues, depois de ter desistido do seu sonho de ser cantor de ópera. Mas as grandes portas pareciam não se abrir para mais um negro pobre, criado num orfanato, a tentar fazer carreira na única profissão em que os negros de então conseguiam ter sucesso na América da segregação racial: a música! Mas Hawkins tinha raros atributos como pianista, guitarrista e cantor o que lhe valeu granjear algum reconhecimento junto de pequenas editoras locais de blues. A primeira vez que gravou seria mesmo em 1952, mantendo o seu contacto permanente com os palcos e os estúdios, mas sem êxito comercial.

Foi então que o Hawkins, em 1956, gravou uma canção que acabara de escrever: “I Put A Spell On You”, que é como quem diz: “Lancei-te um bruxedo!”. No início, a ideia era fazer uma balada mas, rapidamente, o autor levou o tema para caminhos bem mais pesados, pois, segundo consta, a sessão de gravação foi muito bem bebida e os músicos inspiraram-se com os gritos bizarros do cantor bêbado. Para o cenário ser completo, o artista mudou de nome para Screamin’ Jay Hawkins; meteu uns ossos a sair do nariz; vestiu uma capa; uma pele de leopardo; e segurou uma bengala com uma caveira. Estava criado o personagem que iria espantar o mundo da música, com uma voz gutural, saída das profundezas do “Além”. Um cantor que apelava ao macabro, mas que continuava a ser um “bluesman”. Na verdade, este inovador estilo de Rhythm & Blues seria o verdadeiro pioneiro de um estilo de rock que só iria surgir quase uma década depois e que ainda hoje se mantém.Screamin-Jay-Hawkins-I-Put-A-Spell-On-45

“I Put A Spell On You” é uma canção que é um verdadeiro marco incontornável na História da Música Popular, lançada em 1956 e que tem sido alvo de “mil e uma” versões pelos mais variados artistas de renome. As mais famosas versões foram interpretadas, nomeadamente, por The Animals, Creedence Clearwater Revival, Van Morrison, Joe Cocker, Nina Simone, Bryan Ferry e Nick Cave, entre muitos outros, mas a original pelo “original” Screamin’ Jay Hawkins continua a ser a melhor de todas.

Contudo, como não há bela sem senão. O crescente sucesso do cantor, após o lançamento do single e do LP, iria ser interrompido entre 1958 e 1960 pela sua prisão, devido a ter sido condenado por abuso de uma rapariga menor (15 anos). Aliás, a vida amorosa de Screamin’ Jay Hawkins foi digna da sua singularidade artística. Ao todo, casou seis vezes e teve, oficialmente, três filhos da sua terceira esposa, mas dizia publicamente que devia ter entre 57 a 75 filhos no total! Na verdade, depois da sua morte, o seu biógrafo, Maral Nigolian, terá identificado 33 destes seus “possíveis” filhos. Doze deles estiveram mesmo presentes num encontro de “família” em 2001.

SCREAMIN JAY 2“I Put A Spell On You” é uma canção que se tornou num verdadeiro cartão de visita do artista. Um tema que acompanhou toda a (longa) carreira do cantor (ver vídeo), que se manteve sempre em actividade, praticamente, até à hora da sua morte a 12 de Fevereiro de 2000, na consequência de uma cirurgia a um aneurisma. O desenlace aconteceu numa clínica de França, país onde o artista residia desde 1997.

Ao todo, entre 1956 e 1998, Screamin’ Jay Hawins editou 14 álbuns, com o último a ter um título bem a propósito – “At Last (Last Call)”. Ao longo da sua carreira, o “bluesman” percorreu um longo projecto inspirado de canções, acompanhado por excelentes bandas, mas sempre com aquela imagem macabra de bruxo, que lançou em 1956 com a “I Put A Spell On You”. E não só como músico, pois como actor participou também em oito filmes, interpretando o personagem que ele próprio criara ou outros, igualmente “dark”.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

1 COMENTÁRIO

Comentários estão fechados.

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -