Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Julho 7, 2022

Liberdade de Expressão

Joaquim Jorge, no Porto
Joaquim Jorge, no Porto
Biólogo, Fundador do Clube dos Pensadores

Devemos respeitar a opinião alheia sem nos apropriarmos dela.

As pessoas alimentam-se das suas convicções no dia-a-dia, polémica atrás de polémica, movendo-se num grupo homogéneo não saindo da ortodoxia do colectivo dentro do qual se sentem seguras

Todavia eu prefiro pensar no singular, apesar destes tempos serem confusos e complicados.

Há pessoas que têm pouca capacidade para aceitar o livre discurso e mostram grande intolerância A essência da democracia é o confronto de ideias e pensamentos incómodos, quiçá que nos repelem e nos obrigam a exercitar a nossa capacidade de dialéctica.

A democracia sem troca de ideias deixa de ser um lugar de debate para converter-se em algo parecido a uma casa onde se procura o bem-estar até que chega a opinião de alguém que não gostamos, fazemos tudo para a calar e evitamos que fale.

A liberdade de expressão é o primeiro mandamento da nossa convivência democrática.

A liberdade de expressão é o oxigénio das democracias. Parafraseando Augusto Branco, poeta e escritor brasileiro: Os políticos gostam do ideal de liberdade de expressão até o momento em que começam a ouvir aquilo que elas não gostariam que dissessem a respeito delas”.

Devemos e temos que ter a ousadia e a determinação de incomodar, chamando à atenção, fazer pensar quem nos lê, escuta e vê, ter uma visão diferente do poder instalado. É importante assinalar os abusos, cinismo, desfaçatez, as suas razões grotescas, por fim, exigir que nos prestem contas e que expliquem as suas decisões.

Sou a favor que os políticos prestem contas e expliquem as suas tomadas de posição.

Dialogar com um político empertigado é impossível. Se lhe perguntas algo sente-se questionado, se o críticas sente-se atacado, se argumentas enrosca-se, se sugeres um caminho e uma solução fica irritado e ataca-te.

Está consagrado na Constituição Portuguesa no seu artigo 37.º, que todos temos direito de exprimir e divulgar livremente o nosso pensamento pela palavra, imagem ou por qualquer outro meio. O exercício deste direito não pode ser impedido ou limitado por qualquer tipo ou forma de censura.

Todavia após, 44 anos de democracia, as coisas não são bem assim. É pena e é grave!

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

VER…

Boa pergunta

Além Tejo (1)

- Publicidade -