Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Outubro 23, 2021

Livro de Hugo Azancot de Menezes, Co-Fundador do MPLA, lançado em Luanda

Médico e nacionalista africano, em Janeiro de 1960, em Tunes, foi um dos seis Membros do Primeiro Comité Director do MPLA, onde também se incluem Eduardo Macedo dos Santos, Lúcio Lara, Mário de Andrade, Matias Miguéis e Viriato da Cruz.

Hugo José Azancot de Menezes, logo após se ter licenciado em medicina pela Universidade de Lisboa, viajou para Londres, tornou-se amigo de Dennis Phombea (braço direito de Julius Nyerere), conheceu Sékou Touré, estabeleceu-se na Guiné Conacri em 5 de Agosto de 1959, e apoiou a entrada de Amílcar Cabral, Lúcio Lara e Mário Pinto de Andrade na Guiné.

Apesar de ter sido determinante na fundação do MPLA e de outros movimentos nacionalistas africanos devido à sua excelente relação que tinha com Diallo Saifoulaye, Secretário Político do Partido Democrático da Guiné (PDG) e com outros dirigentes de países africanos, nomeadamente do Gana e do Congo-Brazaville, Hugo Azancot de Menezes foi injustamente esquecido e ignorado de forma premeditada.

Biografia oficial

Será lançada a biografia oficial de Hugo Azancot de Menezes, “PERCURSOS DA LUTA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL – VIAGEM AO INTERIOR DO MPLA, MEMÓRIAS PESSOAIS” (Ed. Nova Vega), um importante documento que vem contribuir para a compreensão da luta de libertação do povo angolano, com enfâse na génese e evolução do MPLA.

O livro será lançado no dia 6 de Dezembro de 2018, 5ª Feira, às 18H:00 no Espaço ELA (Rua Rainha Ginga, nº 87, 4º andar, Luanda), com apresentação do Jornalista Ismael Mateus.

A obra que assume-se como uma viagem pela história da resistência angolana e pelo interior do MPLA, tem organização, fixação e revisão do texto, preâmbulo, notas e comentários do historiador angolano Carlos Pacheco, que, no preâmbulo, escreve:

Azancot entendia ser necessário, pelos caminhos da memória, responder com a verdade da sua experiência militante, sem concessões, por ser o melhor contributo a prestar às futuras consciências colectivas, ajudando-as a defender-se de novas utopias fundamentalistas e de novos fanatismos.


Documento da PIDE

Sobre o livro

Com organização, preâmbulo e notas do historiador Carlos Pacheco, este livro reúne um conjunto de textos escritos por Hugo Azancot de Menezes que ilustram o que foi a luta de libertação angolana contra o jugo colonial.

Este seu testemunho abrange momentos da história tão marcantes como o da organização do Movimento de Libertação dos Territórios Africanos sob Domínio Português (MLTADP), constituídos por refugiados políticos da Guiné-Bissau e de cujo Bureau Directivo fez parte, em particular a fundação do MPLA, na Tunísia e Conakry, em que participou decisivamente, sendo um dos seis Membros do Primeiro Comité Director do MPLA.

Já nos anos 70, o livro aborda o período conturbado da génese da Revolta Activa e depois, após o período a seguir à independência, com todas as contradições inerentes ao novo país.

São muitas as histórias, algumas inéditas, muitas delas documentadas, jamais narradas por outros intervenientes que surpreendem e chocam neste livro.

Hugo Azancot de Menezes, depois da independência nacional de Angola, requereu a nacionalidade angolana e foi director do Hospital Central de Luanda. Faleceu no dia 1 de Maio de 2000, às sete horas da manhã, no Hospital Fernando da Fonseca (Amadora-Portugal), após doença prolongada.

 

Está a falar Lúcio Lara (na fila de trás, da esquerda para a direita, Hugo Azancot de Menezes, Lúcio Lara e Viriato da Cruz)

 

Hugo Azancot de Menezes

 

Hugo Azancot de Menezes

 

Os Co-Fundadores do MPLA em Conacri (Julho de 1960). Da esquerda para a direita: Hugo Azancot de Menezes, Eduardo Macedo dos Santos, Lúcio Lara, Mário de Andrade, Matias Miguéis e Viriato da Cruz

 

Hugo Azancot de Menezes e sua mulher La Salette

 

Informação sobre o lançamento

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -