Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Janeiro 30, 2023

Mural de Banksy sobre refugiados tapado em Londres

Banksy
O artista de rua Banksy volta a sacudir consciências. O mais recente mural, criado junto à embaixada francesa em Londres, no luxuoso bairro de Knightsbridge, denuncia a situação miserável dos refugiados em Calais.

Segundo as agências internacionais, o stencil foi entretanto coberto com tapume, para evitar actos de vandalismo, dizem. Atitude já criticada pelos defensores do famoso artista “guerrilha” britânico.

No grafíti é recriada a personagem Cosetti, protagonista da obra “Os Miseráveis” de Victor Hugo, que chora envolta em nuvens de gás lacrimogéneo. Ao lado foi inscrito um código interactivo com ligação a uma página do Youtube. O vídeo mostra imagens de uma alegada intervenção policial, no início do ano, no campo de refugiados em Calais, já apelidado de “Selva”, com recurso a gás lacrimogéneo, canhões de água e balas de borracha.

Não é a primeira vez que o também activista político faz intervenções de arte urbana onde ataca a actuação da Banksy - Steve JobsEuropa na questão dos refugiados. Ainda no mês passado, outro mural retratava Steve Jobs, o co-fundador da Apple, com um saco preto ao ombro e um computador na mão, recordando as suas origens de imigrante sírio nos Estados Unidos.

“Somos muitas vezes levados a crer que a migração esgota os recursos do país mas Steve Jobs era filho de um migrante sírio. A Apple é a empresa mais lucrativa do mundo, paga anualmente mais de sete mil milhões de dólares em taxas – e só existe porque permitiram a entrada de um jovem de Homs”, podia ler-se numa das raras declarações de Bansky, cuja verdadeira identidade continua envolta em mistério.

A “Selva” de Calais, no noroeste francês, tem sido palco de várias manifestações contra e pró-refugiados. Aqui sobrevivem cerca de 4 mil migrantes, que desesperam pela luz verde para cruzar o canal da mancha, numa travessia de 20 quilómetros para o Reino Unido.

“Nunca desistam; a grandeza leva tempo”, escreveu o autor esta segunda-feira na sua página do tweet, numa provável referência à cobertura da sua intervenção urbana.

 

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -