Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Julho 7, 2022

“Não é possível alguém em pleno século 21 ser vítima do poder judiciário como eu estou sendo”, diz Lula

O ex-presidente Lula atingiu o maior nível de indignação até aqui desde que foi preso pela Lava Jato. As mensagens trocadas entre Moro e Dallagnol foram o estopim para que esse grau de indignação.O ex-presidente Lula atingiu o maior nível de indignação até aqui desde que foi preso pela Lava Jato. As mensagens trocadas entre Moro e Dallagnol foram o estopim para que esse grau de indignação crescesse, pois vieram a confirmar todas as suspeitas levantadas pela defesa do ex-presidente. Lula diz: “não é possível que, em pleno século XXI, alguém seja vítima do Poder Judiciário como eu estou sendo”.

O ex-presidente ainda reivindicou que aguma instância do Judiciário avalie o mérito do processo e tome uma decisão, dando a entender que é a própria reputação do Poder Judiciário que está em jogo.

Ele disse:

olha, o que eu quero? Que alguma instância do Poder Judiciário leia o mérito do meu processo e tome uma decisãoPorque não é possível que, depois da mentira do Moro, vem a mentira do TRF4, que nem leram meu processo. Ou seja, fui julgado a toque de caixa porque era preciso julgar antes que prescrevesse porque o objetivo era não permitir que eu fosse candidato em 2018. Não é possível que, em pleno século XXI, alguém seja vítima do Poder Judiciário como eu estou sendo.”


Texto em português do Brasil

Exclusivo Editorial Brasil247 / Tornado


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

Boa pergunta

VER…

Crónica de Trump

- Publicidade -