Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Novembro 29, 2022

O Espantalho retrata o trabalhador em sua constante e inglória busca por um lugar no mundo

Carolina Maria Ruy, em São Paulo
Carolina Maria Ruy, em São Paulo
Pesquisadora, coordenadora do Centro de Memória Sindical e jornalista do site Radio Peão Brasil. Escreveu o livro "O mundo do trabalho no cinema", editou o livro de fotos "Arte de Rua" e, em 2017, a revista sobre os 100 anos da Greve Geral de 1917

O espantalho não assusta. Provoca risos e pena nos corvos. Essa é a metáfora o filme O Espantalho.

O tema é o encontro de dois vagabundos na estrada para a Califórnia: Max, um homem durão, esquentado, que foi preso várias vezes devido ao seu temperamento difícil, e Lion, um ex-marinheiro irresponsável e negligente. Eles são homens comuns, que topam qualquer trabalho, vivem de “bicos” e que têm sonhos e ambições. Os dois se conhecem por acaso. E planejam se tornar sócios em um negócio de lavagem de carros quando chegarem a Pittsburgh, na Pensilvânia. O objetivo de Lion é chegar a Detroit para conhecer o filho que nunca viu, e fazer as pazes com sua esposa Annie. Max concorda em fazer esse desvio no caminho.

A supremacia da indústria automobilística, no início dos anos de 1970, faz com que prevaleçam os trabalhos ligados a este ramo e dá o tom da paisagem árida e poluída.

Não à toa o grande projeto de Max é construir um lava-rápido e tornar-se um empresário em prestação de serviços.

Mas o filme os associa à imagem triste do espantalho. Desempregados e “informais”, Max e Lion são o retrato da marginalização provocada por um sistema que não abrange e ao mesmo tempo não liberta. O Espantalho, desta forma, retrata a condição do trabalhador, sua alienação inerente e sua constante busca por si mesmo.

Os dois amigos compartilham uma realidade fragmentada, cultivando pedaços de vida, de percepção e de mundo. Mas esses homens guardam dentro de si sentimentos e valores íntegros e invioláveis. Ao mesmo tempo engraçado e comovente O Espantalho nos faz parar para prestar atenção em um mundo que pode estar a nossa volta.

O Espantalho (Scarecrow)

EUA, 1973

Direção: Jerry Schatzberg

Elenco: Gene Hackman, Al Pacino, Dorothy Tristan e Ann Wedgeworth


Texto em português do Brasil

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -