Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Julho 25, 2024

O renascimento do Sol

Paulo Casaca, em Bruxelas
Paulo Casaca, em Bruxelas
Foi deputado no Parlamento Europeu de 1999 a 2009, na Assembleia da República em 1992-1993 e na Assembleia Regional dos Açores em 1990-1991. Foi professor convidado no ISEG 1995-1996, bem como no ISCAL. É autor de alguns livros em economia e relações internacionais.

A vida, tal como a concebemos, gira à volta do Sol, e é por isso natural que a data em que, no hemisfério Norte, ele inicia a sua maior presença diária no horizonte, seja a referência escolhida para a celebração do aparecimento da vida.

Para os Yazidi, religião cuja origem é mais antiga do que qualquer das religiões tidas por abraâmicas, e que alguns Cristãos do Oriente apontam como a que inspirou a celebração do nascimento de Cristo, o solstício é celebrado na sexta-feira que o precede, ou seja, este ano a 15 de dezembro, sendo o templo de Lalish, o centro espiritual da religião, o mais importante local onde ainda se fazem as celebrações.

Que a data de 25 de dezembro escolhida pelo cristianismo para celebrar o nascimento de Cristo se tenha inspirado na Saturnália romana, como é tido por certo entre nós, ou no nascimento de Malak Tawis, ou seja o Pavão, principal arcanjo entre os Yazidi, é menos importante do que o que o Sol representa para a vida e o sentimento de poder esperar mais luz em cada dia que se sucede.

Neste novo renascimento do Sol desejo à equipa que manteve até hoje o Tornado aberto bem como aos seu leitores e colaboradores muita vida plena das felicidades que ela nos pode trazer.

Feliz Natal para todos!

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -