Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Fevereiro 8, 2023

Oito poemas de Gerusa Leal

Obra da poeta pernambucana lembra a pintura de Edward Hopper e os poemas de William Carlos Williams.

Os poemas de Gerusa Leal, autora pernambucana que reside na cidade de Olinda (PE), são pequenas narrativas visuais que recordam a pintura figurativista de um Edward Hopper ou os poemas objetivistas de autores norte-americanos como William Carlos Williams. São peças curtas, concisas, imagéticas, que retratam o cotidiano de maneira ora lírica, intimista, ora sarcástica e irônica.

Seus temas recorrentes são as lembranças familiares, a natureza, a passagem do tempo, as relações interpessoais, mas também a mitologia e a própria poesia. É uma autora que merece ser lida.

 

Climática

O outono cintila em prata
nos cabelos dela.
No sorriso largo
e na blusa florida
ainda passeia, descuidada
a primavera.

 

*****

Sesta na casa da avó

A cadeira de balanço, quieta.
A louça do almoço, lavada,
brilhando no secador.
O carrilhão do relógio
é o único som pela casa.

 

*****

Na saída do beco

Na saída do beco
os dois esbarraram
com a morena
procurando
por seu homem.
A cicatriz no rosto
da loura ficou tão
comprida que nem
mesmo o véu cobria.

 

*****

Como faziam
todas as manhãs

A mãe diante do fogão.
O pai à mesa, lendo o jornal.
Ela de pé à porta da cozinha
esperando pelo bom dia que
nunca mais ouviria.

 

*****

Tão doce, com aquele
sotaque de gato

Bem diverso do ronco
do motor em alta velocidade,
tentando chegar com ela
ao hospital, acelerando
na contramão.

 

*****

Com o dinheiro dela

O cordão dourado que ele
lhe dera, imitação barata.
Bem mais vagabundo
que os brincos achados
na gaveta de cuecas

 

*****

Silêncio d’ água

Voz da empregada
latidos do cachorro
gritos das crianças, ruído
própria pulsação.
Tudo some pelo ralo da pia.

 

*****

Constatação

pássaro esvoaça na sala
sem saída, se deixa ficar

vaso de violetas
na pia do banheiro
toalha amarela

vozes ao longe
de encontro familiar
para que mais poesia?

 


por Claudio Daniel, Poeta, tradutor e ensaísta, é formado em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, com mestrado e doutorado em Literatura Portuguesa pela USP, além de pós-doutor em Teoria Literária pela UFMG   | Texto original em português do Brasil

Exclusivo Editorial PV / Tornado

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anterior
Próximo artigo
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -