Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sexta-feira, Agosto 19, 2022

Nazistas querem liberdade para difundir o ódio

A mentira e a dissimulação sempre foi uma estratégia usada pela extrema-direita.

Inaceitável que o nazismo volte a ser relativizado no Brasil por figuras públicas em redes sociais e políticos, especialmente por aqueles que têm mandato. O nazismo não se resume a uma ideologia de ódio aos judeus. Antes de criar os campos de concentração para extermínio em massa, Hitler já havia executado comunistas. Depois, os nazistas massacraram ciganos, maçons, testemunhas de jeová, deficientes físicos, homossexuais e todos aqueles que não eram da sua autoproclamada “raça ariana”. Como se não fosse o suficiente, Hitler ainda começou uma Segunda Guerra Mundial, cujo resultado foi 60 milhões de mortos, sendo aproximadamente metade de soldados e civis da União Soviética.

O racismo é a base da ideologia nazista e num país miscigenado como o Brasil isto é ainda mais inaceitável. Vale lembrar que o Brasil foi o país que na década de 1930 e 1940 teve as maiores células nazistas fora da Alemanha que já existiram, propondo inclusive o retorno do trabalho escravo no país. Portanto, está correta a atitude da PGR de abrir inquérito contra o Monark e o deputado Kim Kataguiri. Este, aliás, deveria ter seu mandato cassado pela Câmara dos Deputados por apologia ao nazismo.

Entretanto, Bolsonaro já deu declarações de simpatia a Hitler. Recebeu a visita de membros de um partido neonazista da Alemanha, inclusive o neto de um ministro de Hitler. Teve ministros bolsonaristas que leram textualmente discursos nazistas escritos por Goebbels. Mas cadê a PGR para indiciar Bolsonaro por crime de responsabilidade, de modo a ser aberto um processo de impeachment contra ele? O que ocorre é que no Brasil, uns podem admirar nazistas e outros não, sendo que o certo é que ninguém deveria ter o direito de fazer apologia a uma ideologia criminosa como o nazismo.

Este é um ponto. O outro é que sempre que essa discussão avança, já vem a extrema direita propor criminalizar o comunismo, o socialismo, a social-democracia e o liberalismo, cada qual com seus tais crimes. Ora, existe uma imensa diferença entre essas correntes políticas e o nazismo. Quem ler o livro de Hitler, chamado “Minha Luta” verá que ele claramente defende ódio racial em sua ideologia. Já no socialismo, Marx jamais pregou isto, pelo contrário defendeu a união de todos os trabalhadores do mundo. E no comunismo, o tal “Decálogo de Lênin” foi inventado por seguidores do Olavo de Carvalho porque este texto não faz parte de seus escritos. Da mesma forma que o liberal Harry Trummann jogou bombas atômicas em Hiroshima e Nagazaki, isso não foi por uma questão ideológica do liberalismo mas por uma decisão política de um governo liberal. Então crimes do socialismo, comunismo, social-democracia, liberalismo ou qualquer outra ideia que se baseie na democracia não são crimes cometidos pela ideologia, mas por governos ou pessoas em nome daquele ideal.

A mentira e a dissimulação sempre foi uma estratégia usada pela extrema-direita. Da mesma forma que o Czar da Rússia escreveu os Protocolo dos Sábios de Sião para criminalizar judeus e maçons como uma ameaça à sociedade, simpatizantes do nazismo no governo Getúlio Vargas também forjaram o Plano Cohen que anunciava uma suposta conspiração comunista para justificar a instalação de um regime de inspiração fascista. O que o olavismo faz ao promover os tais “decálogos de Lênin” é exatamente a mesma coisa: forjar documentos para promover a mentira.

Não adianta dizer que os nazistas têm o direito de falar o que quiserem em nome da “liberdade de expressão”, porque todos sabemos que os nazistas querem liberdade para difundir o ódio aos diferentes deles e que quando chegam ao poder são exatamente eles que acabam com a liberdade de todos os outros.

Bolsonaro diz por aí que nazismo é de esquerda. Bolsonaro mente! Leiam no próprio livro de Hitler como ele deixa claro ser partidário da extrema-direta. Negacionismo histórico não é só inaceitável, ele mata. Nazistas eram de direita, massacraram comunistas, socialistas, liberais, democratas, judeus, russos e todas as minorias religiosas ou étnicas que diziam serem inferiores. O nazismo levou o mundo a uma guerra mundial. Nazismo é genocídio. Nazismo é extermínio em massa.

Portanto, apologia ao nazismo é crime. Quem defende o nazismo, promove o crime. Lugar de criminoso é na cadeia.


por Thomas Toledo, Pesquisador da Universidade da Califórnia Los Angeles (UCLA) | Texto em português do Brasil

Exclusivo Editorial PV / Tornado

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -