Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Dezembro 2, 2021

Pandemia do coronavírus desperta a solidariedade que andava sumida

Marcos Aurélio Ruy, em São Paulo
Jornalista, assessor do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo

A pandemia do coronavírus trouxe o medo e a morte, mas também ressuscitou a solidariedade um tanto adormecida nestes tempos com a predominância do egoísmo, do ódio, da discriminação e da violência.

E como não poderia deixar de ser a cultura se manifesta e lidera uma onda de solidariedade que toma o mundo para mostrar que a esperança sempre resiste e que os versos e as melodias valem muitas vidas a serem salvas pela solidariedade e pela generosidade.

Prova cabal é o vídeo produzido por 19 integrantes da Orquestra Filarmônica de Roterdã, Holanda, com o Hino à Alegria, parte da Nona Sinfonia do gênio alemão, Ludwig van Beethoven, que nasceu em Bonn, em 1770 e morreu em Viena, Áustria, em 1827.

Quem acredita na cultura e na vida se emociona; ele não

“O resumo de sua obra é a liberdade”, afirma o crítico alemão Paul Bekker (1882-1937), “a liberdade política, a liberdade artística do indivíduo, sua liberdade de escolha, de credo e a liberdade individual em todos os aspectos da vida”. Assim foi a vida e a obra de Beethoven, um dos maiores talentos musicais de todos os tempos, que ficou sem poder ouvir suas criações, vítima de surdez.

A Orquestra Filarmônica de Roterdã existe desde 1918 e é uma das mais respeitadas do mundo. Impossível não se emocionar com a generosidade desses músicos e com a música de Beethoven, ainda mais nestes tempos de isolamento.

Outras lives

Componentes da Orquestra Nacional de Nova York se reúnem online para prestar merecida homenagem aos profissionais da saúde na linha de frente no combate à Covid-19. Escolheram Bolero, do compositor francês Maurice Ravel, que nasceu em Ciboure, em 1875 e morreu em Paris, em 1937.

Orquestra Nacional de Nova York, Bolero, de Ravel

Artistas de música popular não deixam por menos e muitos têm feito lives em quarentena para aliviar o necessário isolamento social para vencer a Covid-19 e mudar o mundo após a pandemia. Nada como uma cultura após a outra para a alegria de corações e as mentes com vontade de superar as sombras do medo e erguer a luz da amizade, do amor, da igualdade e da paz.

Calle 13, Latinoamerica

Francisco, el Hombre e Luê, Juntos, Nunca Sós

 


Texto em português do Brasil


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -