Plano de Negócio – Parte 1

0
127

Uma etapa de extrema importância do processo empreendedor é a elaboração do Plano de Negócio. Através dele prevê-se como irá evoluir o desenvolvimento da oportunidade de negócio direciona-se o novo empreendimento através de metas e trade-offs[1], determina-se a respetiva viabilidade, quais os recursos necessários para a sua implementação e como serão captados esses recursos. Além disso, é através do plano de negócio que se traduzem falsas ideias e metas ambíguas ou abstratas em medidas explícitas que auxiliam nas tomadas de decisão durante a gestão da organização.

O Plano de Negócio é construído pelo empreendedor, sendo que é um documento no qual são detalhadas as características internas e externas do projeto, de forma a aplica-lo e ao mesmo tempo delinear os meios parara alcançar as metas propostas.

A elaboração do Plano de Negócio estimula o empreendedor a entender o seu negócio, a avaliá-lo diante de diferentes cenários, considerando possíveis barreiras de sucesso e maneiras de as evitar ou superar, podendo no limite conduzir ao abandono do projeto ainda numa fase inicial do empreendimento ainda na fase do projeto, evitando assim a perda de recursos e frustrações (Hisrich e Peters,2004).

Existem 3 tipos de utilidade elaboração de um Plano de Negócio; comunicação, gestão e planeamento.

 

Figura 6 – Elaboração Plano de Negócio.
Fonte: Do autor (2017).

 

Como ferramenta de comunicação, o plano de negócio ajuda o empreendedor a:

Figura 7 – Ferramenta de Comunicação.
Fonte: Do autor (2017).

 

Como ferramenta de gestão, o plano de negócio ajuda o empreendedor a:

Figura 8 – Ferramenta de Gestão.
Fonte: Do autor (2017).

 

Como ferramentas de planeamento, o plano de negócio ajuda o empreendedor a:

Figura 9 – Ferramenta de Planeamento.
Fonte: Do autor (2017).

 

O Plano de Negócio torna-se assim num instrumento fundamental para a estruturação de uma boa ideia de negócio. O Plano de Negócio corresponde à implementação da ideia e à sua tradução na criação de valor, devendo ser um instrumento dinâmico e ajustável á evolução da própria ideia e ao mercado.

 

1.ª Fase Resumo da ideia e resultados previstos

Esta primeira fase é muito importante, pois as pessoas, empresas ou instituições que vamos contactar estarão interessadas em 1º lugar em perceber o que vale o nosso negócio. Se não lhes conseguirmos explicar em poucas palavras quais os nossos produtos/serviços, qual a nossa localização, o que vamos vender e o lucro que esperamos obter, então dificilmente vão perder muito mais tempo a ler o resto do nosso Plano de Negócio. Apesar deste resumo aparecer logo no inicio, a versão final só deverá ser escrita apenas no fim de termos elaborado o Plano de Negócio, pois só no final de elaborarmos o plano é que teremos uma ideia mais precisa do percurso que vamos seguir, das necessidades e dos resultados previstos.

Estes são alguns dos pontos que deverão estar bem definidos nesta fase;

  • Qual o nome da empresa.
  • Qual a área de atividade.
  • Qual o tipo de clientes que vamos abordar e qual o mercado.
  • Qual ou quais as nossas vantagens competitivas.
  • Qual o investimento necessário e quais as fontes de investimento.
  • Qual a previsão de vendas e lucros para os 3 primeiros anos, rentabilidade do negócio, e retorno do investimento.
  • Apresentação de parcerias chave.
  • Características técnicas e pessoais para assegurar o projeto.

 

2.ª Fase Descrição do negócio

Nesta fase o empreendedor deverá explicar a sua ideia de negócio, esta deverá ser concisa, bem pensada e de fácil compreensão. Deverá também escrever ao pormenor as características do seu produto/serviço. Temos de ter em conta que é perfeitamente natural que estas características sejam alteradas ao longo da construção do plano, e até mesmo depois da empresa ter iniciado a atividade, é sinal de que a informação que vamos recolhendo e analisando é relevante para a nossa empresa, o que não deixa de ser bastante positivo.

A descrição do seu negócio terá de responder às seguintes perguntas;

  • Qual o seu produto/serviço principal?
  • Qual a sua proposta de valor única?
  • Qual a sua vantagem competitiva?
  • Como é que o seu produto/serviço irá atender às necessidades dos seus clientes?
  • Qual a sua meta de desenvolvimento de produto?

 

3.ª fase Análise de mercado

Nesta fase é muito importante ter uma visão global dos vários tipos de consumidores que existem. Só assim poderemos selecionar aqueles a quem nos queremos dirigir. Pois não vamos conseguir atender a todos e para além do mais nem todos estarão interessados nos nossos produtos/serviços. Outro ponto importante é a concorrência. Procure identificar quem são os seus principais concorrentes. A partir daí, visite-os e examine as suas boas práticas e deficiências. Lembre-se de que os concorrentes são aquelas empresas que atuam no mesmo ramo de atividade que o seu e buscam satisfazer as necessidades dos seus clientes.

 

Estudo dos Clientes

1.º passo identificar as características gerais dos clientes

  • Qual a faixa etária?
  • Na maioria são homens ou mulheres?
  • Têm família grande ou pequena?
  • Qual é o seu trabalho?
  • Quanto ganham?
  • Qual a sua escolaridade?
  • Onde moram?

 

2.º passo identificar os interesses e comportamentos dos clientes

  • Qual a quantidade e com que frequência compram esse tipo de produto/serviço?
  • Onde costumam comprar?
  • Que preço pagam atualmente por esse produto/serviço similar?

 

3.º passo identificar o que leva as pessoas a comprar

  • O Preço?
  • A qualidade dos produtos/serviços?
  • A marca?
  • O prazo de entrega?
  • O prazo de pagamento?
  • O atendimento da empresa?

 

4.º passo identificar onde estão os seus clientes

  • Qual o tamanho do mercado em que irá atuar?
  • É apenas na sua rua?
  • O seu bairro?
  • A sua cidade?
  • No seu distrito?
  • No seu país?
  • Os seus clientes vão encontrar a sua empresa com facilidade?

 

Estudo dos Concorrentes

 Nesta fase teremos de identificar os pontos fortes e fracos dos seus concorrentes em relação ao seu negócio

  • Qualidade dos materiais utilizados- cores, tamanhos, embalagem, variedade;
  • Preço cobrado;
  • Localização;
  • Condições de pagamento, prazos concedidos, descontos praticados;
  • Atendimento prestado;
  • Serviços disponibilizados-horários de funcionamento, entregas ao domicílio;
  • Garantias oferecida.

 

Após fazer todas estas comparações, é altura de tirar algumas conclusões;

  • A sua empresa poderá competir com outras empresas que já estão no mercado há mais tempo?
  • O que irá fazer para que as pessoas deixem de ir aos concorrentes para comprarem na sua empresa?
  • Há espaço para todos, incluindo a sua empresa?

 

4.ª fase Definição da estratégia

A estratégia de uma empresa é o conjunto de ações que definem os rumos possíveis a seguir no futuro, consoante as circunstâncias com que ela se vai deparar. A estratégia surge como a necessidade permanente da empresa face à existência de concorrência (direta ou indireta, efetiva ou potencial), que a coloca perante o risco de perder a sua posição no mercado.

  • Análise SWOT (Identificar pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças)

Para ajudar a desenhar a estratégia da sua empresa, é interessante que sejam analisados os ambientes interno e externo do seu negócio. Durante a análise do ambiente interno, devem ser identificados os pontos fortes e fracos aos quais a organização está submetida, ou seja, características internas que estão bem consolidadas e pontos a serem melhorados. Já no que diz respeito à análise do ambiente externo, deverá ser feita uma lista com as oportunidades e ameaças que possam interferir direta ou indiretamente na empresa que muitas vezes podem ser extraídas de uma análise de mercado a da concorrência. Através dessa análise, é possível traçar ações que maximizem os pontos fortes e minimizem os pontos fracos, bem como conhecer melhor o ambiente em que se está envolvido.

Forças

  • O que é que faz bem?
  • Que recursos únicos pode aproveitar?
  • O que é que os outros vêem como as suas forças?

Fraquezas

  • O que é que pode melhorar?
  • Onde é que tem menos recursos que os outros?
  • O que é que os outros vêem como as suas prováveis fraquezas?

Oportunidade

  • Que oportunidades tem disponíveis?
  • Que tendências/ novidades pode você aproveitar?
  • Como pode transformar as suas forças em oportunidades?

Ameaças

  • Que ameaças podem prejudicá-lo?
  • O que é que a sua competição anda a fazer?
  • As suas fraquezas expõem-no a que possíveis ameaças?

Figura 10 – Análise Swot.
Fonte: Recuperado em 15.05.2017 de Análise SWOT – Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças.

 

  • Definição da identidade da empresa

É muito comum que empresas, principalmente de menor dimensão, não possuam uma identidade própria, consubstanciada na definição de negócio, missão[2], visão[3] e valores[4] próprios. No entanto é de extrema importância que a sua identidade seja definida, de modo a divulgar o que a empresa oferece, o porquê da sua existência, onde ela quer chegar e quais os seus princípios. Nesta etapa é comum que as empresas definam o seu negócio, missão, visão, valores e os comuniquem a todos os seus membros, parceiros e clientes, de forma a existir um alinhamento quanto à real identidade da organização. Como consequência disso, é a maior facilidade o alinhamento dos colaboradores por um objetivo comum.

 

  • Definição dos objetivos da organização e ações para alcançá-los

Depois de definir a identidade da empresa, para que a sua estratégia possa ser bem definida, é necessário que os seus objetivos sejam definidos. Esses objetivos devem de estar relacionados com a visão da empresa, ou seja, com a identidade da organização e com o posicionamento estratégico que ela pretende alcançar.

 

Notas

[1] Definimos trade-offs como sendo uma situação em que há conflito de escolhas, caracterizando-se em uma ação económica que visa a resolução de um problema, mas acarretando outro, obrigando a uma escolha. (Recuperado em 29 de Maio de 2017 de Trade-off)

[2] Definimos missão como sendo a razão de existir da empresa, é a sua definição que torna possíveis, claros e realistas os objetivos da empresa. É a declaração ampla e duradora de propósitos que individualiza a organização e a distingue, identificando o negócio dentro do espaço que esta deseja ocupar no seu mercado de atuação. (Recuperado em 28 de Maio de 2017 de Visão, Missão e Objectivos SMART)

[3] Definimos visão como sendo uma perspetiva a da organização a longo prazo, onde a empresa pretende chegar dentro de alguns anos. (Recuperado em 28 de Maio de 2017 de O que é e como definir a missão, visão e valores de uma empresa?)

[4] Definimos valores como sendo os princípios ou crenças que servem de guia ou critério para definir comportamentos, atitudes e decisões de qualquer pessoa inserida na organização. (Recuperado em 28 de Maio de 2017 de O que é e como definir a missão, visão e valores de uma empresa?)

__

Por opção do autor, este artigo respeita o AO90