Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Outubro 23, 2021

Eu sou dono da minha fome!

Paulo Vieira de Castrohttp://www.paulovieiradecastro.pt
Autor na área do bem-estar nos negócios, práticas educativas e terapêuticas. Diretor do departamento de bem-estar nas organizações do I-ACT - Institute of Applied Consciousness Technologies (USA).

Naquela noite estavam juntos dois pequenos grupos na zona da Boavista. O dos sem abrigo e o dos voluntários de uma instituição de solidariedade.

Um carro aproximou-se lentamente e, do seu interior, atiraram muitas moedas para o chão. Todos os presentes ficaram como que congelados perante tão desumana atitude. Uma das mulheres que ali estava à espera da refeição quente apressou-se a apanhá-las devolvendo-as violentamente para dentro do carro, gritando : “ Eu sou dona da minha fome! Eu sou dona da minha fome…”.

Mesmo vivendo na rua e da caridade ela não tinha perdido a dignidade. Continuava a ser livre. Naquele preciso momento percebi o que era viver do lado oposto ao medo e à miséria.

Foi aí que soube que o estatuto mais elevado que o ser humano pode almejar é “ser dono da sua própria fome”. Só deste modo poderemos ser realmente nobres. Ao contrário do que podemos imaginar não é, geralmente, uma mesa farta que nos torna gente.

Por isso , muitas vezes, quando me sinto perante a dificuldade me lembro: “ Eu sou dono da minha fome ! “. Não é fácil vergar o carácter de um homem quando ele já percebeu isso…

Nota do Director

As opiniões expressas nos artigos de Opinião apenas vinculam os respectivos autores.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorJornalistas em congresso
Próximo artigoO Casulo!
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -