Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Outubro 26, 2021

“Suspiros de ida e volta” – novo livro sobre o povo saharaui

No dia 7 de marco, às 19 h, o livro Suspiro de ida e volta, de Isabel Lourenço e Esperanza Jaén, será apresentado na Casa de Cultura de Lebrija, em Sevilha.

O livro em espanhol pode ser encomendado on-line em Readbook.es ou em livrarias.

Entrevista com Esperanza Jean e Isabel Lourenço

Quando e por que se interessaram pelo Sahara Ocidental?

Esperanza Jaén entrou em contacto com a realidade saharaui pela primeira vez em 1994, através do programa Férias em Paz, Isabel Lourenço iniciou o seu activismo com o povo saharaui após a independência de Timor-Leste e, alguns anos depois, a convite da Fundação Sahara Ocidental. Somos activistas na defesa do direito do povo saharaui à sua independência, em conformidade com o direito internacional.

Como nasceu a ideia de escrever este livro? Que  encontrará o leitor neste livro?

O livro consiste em histórias que estávamos a escrever ao mesmo tempo e sem saber uma da outra. Através de um amigo em comum (Fito Alvarez Tombo), descobrimos que estávamos a escrever e nos enviamos as histórias uma à outra. Ficamos muito surpreendidas que, embora com estilos por vezes diferentes  o a temática e a maneira de escrever e ver a situação eram muito semelhantes. Decidimos juntar as histórias e transformá-las num livro em comum.

O leitor encontrará a realidade. Ele não encontrará heróis condecorados, nem mártires glorificados, o que encontrará é a carne, sangue, nobreza, sofrimento e dignidade do povo saharaui.

Qual a parte de realidade e da ficção nas histórias contadas neste livro? Como se documentaram para escrever essas histórias?

As histórias são reais, que os personagens nós contaram directamente ou que nós mesmas  vivemos, porque as vimos com nossos olhos. A criação que fazemos nelas é para aproximar o leitor para que ele as sinta e viva.

Como sabemos quem escreveu cada história?

Não irão saber, porque decidimos assumir tudo o que é publicado em conjunto. Trabalhamos as histórias juntas porque temos muitas experiências comuns.

Qual o público-alvo deste livro?

Este livro destina-se a todos que gostam de ler, a todos que querem saber mais sobre este povo, mas principalmente a quem não o conhece. Queremos que leiam e o que pensam mais tarde é algo pessoal, mas queremos contribuir para que ninguém possa dizer que não ouviu o que acontece ao povo saharaui.

Queremos ir além e ultrapassar o círculo de amigos do povo saharaui e alcançar aqueles que não conhecem o assunto. Esperamos que nossos leitores gostem do livro, que o emprestem aos seus amigos, que o ofereçam como presente, para que as vozes daqueles que não a têm possam ser ouvidas.

Outros projectos juntas num futuro próximo?

Não paramos, temos muitos projectos, mas ter tempo é outra história. A verdade é que há muito mais para contar e os protagonistas deste livro são apenas uma amostra de tantos com as suas histórias e sua mensagens. O projecto imediato é fazer com que o livro alcance o maior número possível de pessoas.



Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -