Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Julho 7, 2022

A Escola da Noite repõe “Palhaço Velho, Precisa-se”, de Matéi Visniec

A Escola da Noite abre a 24 de Março o terceiro momento do ciclo “Trabalhos da Casa”, que assinala o 30.º aniversário da companhia. Depois das duas peças vicentinas apresentadas em Janeiro e Fevereiro, o grupo volta agora a apresentar “Palhaço Velho, Precisa-se”, numa temporada de 8 sessões.

Ao longo do mês, prossegue igualmente o programa dos Sábados para a Infância, que em Março oferece às crianças e às famílias da cidade teatro de marionetas, poesia, música, livros e ilustração, pela mão dos artistas Rui Sousa, Jorri, Miguel Gouveia, Vânia Couto, João Pedro Mésseder e Rachel Caiano.

Palhaço Velho, Precisa-se

“Palhaço Velho, Precisa-se” (“Petit boulot pour vieux clown”, na versão original), é uma comédia trágica escrita em 1986 pelo escritor romeno Matéi Visniec. Três palhaços velhos e sem trabalho reencontram-se numa sala de espera para uma entrevista de emprego e precisam de provar que estão à altura da “oportunidade”. No espaço apertado e claustrofóbico dessa ante-câmara, perante uma porta que permanece fechada, os três antigos companheiros experimentam sensações contraditórias: a alegria de voltarem a estar juntos, o sabor agridoce das muitas memórias partilhadas e a amargura da competição a que foram obrigados, para poderem sobreviver.

Como muitas das obras de Visniec, o texto conjuga humor (às vezes negro), tensão, perfídia e constantes oscilações de ritmo, num exigente trabalho de actores a que Igor Lebreaud, Miguel Magalhães e Ricardo Kalash respondem ao longo de 1h45 de espectáculo.

A produção d’A Escola da Noite utiliza a tradução para português feita por Regina Guimarães, tem cenografia de João Mendes Ribeiro e Luísa Bebiano, figurinos e adereços de Ana Rosa Assunção, luz de Danilo Pinto e som de Zé Diogo.

Estreado no TCSB em 2020, o espectáculo volta agora aos palcos para uma temporada que decorre entre 24 de Março e 3 de Abril – às quintas e sextas-feiras às 19h00, aos sábados às 21h30 e aos domingos às 16h00.

Sábados para a Infância

O trimestre dos Sábados para a Infância termina com um elenco de luxo e ofertas muito diversificadas. Já no dia 5 de Março, pelas 11h00, o marionetista Rui Sousa apresenta “Fios mágicos”, um espectáculo “para crianças dos 3 aos 103 anos de idade” em que poderão ser vistas “as apresentações de um músico de rock, um macaquinho com ambições maiores que a sua realidade, um vampiro apaixonado por uma morta-viva, e muitos mais pitorescos sketches”.

Na semana seguinte, numa co-produção com a Blue House e a Bruaá Editora, Jorri e Miguel Gouveia apresentam “Versos perdidos, poemas encontrados”, uma oficina de música e literatura, na Livraria do Teatro, destinada a crianças a partir dos 6 anos (e aos/às adultos/as que as quiserem acompanhar). Os artistas prometem “um belo jogo de pingue-pongue entre nós e os livros, entre as palavras e a música”, em que vai ser possível “encontrar versos perdidos, notas escondidas e deixarmo-nos perder entre poemas encontrados e músicas que nos encontraram”.

A 19 de Março, Vânia Couto e a Catrapum Catrapeia voltam a realizar em Coimbra uma das oficinas de maior sucesso dos Sábados para a Infância. “Som a som, tom a tom” é uma oficina de música para adultos/as e crianças dos 2 aos 10 anos. Através de “jogos, brincadeiras e exercícios auditivos e instrumentais, as crianças descobrem de onde vem o som, como ele se transforma e se diversifica, como nasce o ritmo e como as palavras e as histórias se transformam em música”.

Finalmente, a 26 de Março, o escritor João Pedro Mésseder e a ilustradora Rachel Caiano fazem a apresentação em Coimbra do livro “Coisas que gostam de coisas”, recentemente editado pela Caminho. Os autores prepararam uma apresentação especial, que terá música e canções, a partir dos poemas de Mésseder e dos desenhos de Rachel. Após a apresentação, que terá lugar na Livraria do Teatro, com entrada gratuita, haverá ainda tempo para uma nova oficina de ilustração, conduzida por Rachel Caiano, inspirada pela obra que vêm apresentar. A oficina destina-se a maiores de 6 anos e tem o custo de 15 Euros.

Clube de Leitura Teatral

João Paulo Janicas, actor, encenador e professor, é o convidado de Março do Clube de Leitura Teatral, cuja sessão mensal ocorre no dia 8, pelas 18h30, no Teatro Académico de Gil Vicente. Escolheu para a leitura a obra “As Virgens Loucas”, do escritor cabo-verdeano António Aurélio Gonçalves, aqui na adaptação teatral feita por Cândido Ferreira e publicada pela Cena Lusófona.

A assistência à sessão é gratuita, como habitualmente. Quem desejar participar como leitor/a deve fazer a sua inscrição através do endereço [email protected].

A Escola da Noite em digressão

O primeiro fim-de-semana do mês inclui ainda a digressão de “Floresta de Enganos”, de Gil Vicente, ao Centro Cultural e de Congressos de Caldas da Rainha. Realizado em co-produção com o Centro Dramático de Évora, o espectáculo pode ser visto no dia 4, sexta-feira, às 15h00 (sessão para escolas) ou no dia 5, sábado, às 21h30 (sessão para o público em geral). Os bilhetes podem ser comprados online, a partir da página do CCC.

Programação de Março de 2022

TEATRO DE MARIONETAS

Fios MágicosMARIONETAS RUI SOUSA

TEATRO | LEITURA

As virgens loucas, de António Aurélio Gonçalves

MÚSICA | LITERATURA | OFICINA

Versos perdidos, poemas encontrados

BLUE HOUSE / BRUAÁ

MÚSICA | OFICINA

Som a som, tom a tom – música para pais e filhos

TEATRO

Palhaço velho, precisa-se

ILUSTRAÇÃO | LITERATURA

Coisas que gostam de coisas – apresentação cantada de um livro cantante

seguida de

Oficina de ilustração

IMatéi nformações e reservas:


Os assinantes solidários do Jornal TORNADO têm Desconto de 50%, em dois bilhetes para cada um destes nos espectáculos. Seja Solídário

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

VER…

Boa pergunta

Os políticos

- Publicidade -