Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Janeiro 20, 2022

Alentejo que já esqueceste

Carlos Luna, em Estremoz
Professor de História, Investigador

Soneto de Carlos Eduardo da Cruz Luna

Alentejo que já esqueceste

Ah! Com’ é triste ver o pov’ esquecer
os males vividos em ditadura,
e muito menos ainda perceber
atrás de que rostos ela perdura!

Educação, saúde, não são p’ra ter,
num regress’ a tempos de vida dura,
em que só por favor se podia obter
algo mais que pobreza quase pura!

Alentejo, terra que foste do pão,
morta p’lo desprezo de quem lá viveu
ou não soube nunc’ aprender a lição…

Povo que quase nada teve de seu,
porqu’ alguns poucos tinham tudo na mão,
mal se lembr’ agora do que padeceu…

Alentejo, apanha da azeitona, de Artur Pastor

 

 


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -