Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Maio 23, 2022

Alm. Silva Ribeiro: “Teoria geral da estratégia: O essencial ao processo estratégico”

A bibliografia portuguesa sobre estratégia é escassa. Por isso, a publicação de “Teoria geral da estratégia: o essencial ao processo estratégico”, da autoria do almirante Silva Ribeiro (senhor de vasta obra publicada sobre matérias estratégicas), foi um marco luminoso numa paisagem teórica desertificada.

Várias são as razões para a referida escassez. Esta (quase) ausência de bibliografia não deve, porém, ser confundida com ausência de culto do saber estratégico. A instituição militar sempre, no seu interior, manteve esse culto. A partir dos anos 80 do século XX, vimos, aliás, surgir do, então, recém-criado IDN “conceitos estratégicos” desenvolvidos sob a direcção de militares como o general Altino de Magalhães, o almirante Coutinho Lanhoso, o comandante Virgílio de Carvalho, o general Loureiro dos Santos e outros. Mas esta reflexão teórica e conceptual tinha dificuldade em “saltar” para fora. Raros eram os decisores políticos ou económicos com capacidade para entender a importância da matéria e interessar-se por conhecê-la. O trabalho de divulgação, então, desenvolvido pelo comandante Virgílio e Carvalho foi notável, fez escola e deu frutos.

O almirante Silva Ribeiro, autor de vasta obra sobre questões  estratégicas, publicou há anos a sua “Teoria geral da estratégia: o essencial ao processo estratégico”, que é o mais actualizado “manual” sobre a matéria.

A apresentação desta obra do actual Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas destaca que:

A investigação científica sobre a teoria geral da estratégia tem sido rara em Portugal. Por isso, existem poucas obras sobre este tema. A maior parte delas são estudos fragmentários e sectoriais, sem uma validade teórica geral, o que obriga os estudantes, os decisores e os executantes da estratégia a recorrer a autores estrangeiros, sobretudo dos EUA e do Reino Unido. Esta obra procura contribuir para reduzir esta carência nacional. Para isso, estuda o conceito de estratégia como processo, caracteriza os elementos essenciais deste processo e debate as características básicas da interacção estratégica. Os conceitos apresentados são determinantes para a adequada estruturação e desenvolvimento dos processos estratégicos no Estado e nas empresas.”

É muito importante este “e nas empresas” porque estas têm todo o interesse e vantagens em descobrir ou re-descobrir todo um saber de origem militar que, mais do que, simplesmente, ser-lhes útil, muito as ajudará a navegar pelo meio do caos que é este mundo em profunda radical mutação, ajudando-as assim a salvar-se…

Índice

  1. Estratégia como Processo
    II. Elementos essenciais do processo estratégico
    III. Interacção estratégica “Passados alguns anos sobre a sua primeira edição constata-se que a obra tem vindo a “envelhecer” muito bem (como acontece com os bons vinhos do Porto) e merece uma próxima edição “revista e aumentada”. Aguarde-se.

 


Exclusivo Tornado / IntelNomics


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -