Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Maio 25, 2022

Congressos evangélicos vencem Websummit

Carlos de Matos Gomes
Carlos de Matos Gomes
Militar, investigador de história contemporânea, escritor com o pseudónimo Carlos Vale Ferraz

A inteligência artificial está no Estádio da Luz e não no Pavilhão Atlântico

A Websummit é a maior conferência da Europa sobre tecnologias da informação, realizada anualmente desde 2009. Em Novembro de 2018, durante vários dias, reuniu em Lisboa cerca de 60 mil pessoas de mais de 100 países. Discutiram-se assuntos como a plataforma Netflix pode ligar o mundo através da tecnologia, e o presidente da Microsoft, Brad Smith, falou sobre a diplomacia cibernética e guerra, por exemplo.

Este ano, em Junho, reuniram-se em Lisboa 60 mil pessoas, vindas de 140 países para o Congresso das Testemunhas de Jeová, uma igreja evangélica milenarista e restauracionista com origem em emigrantes europeus nos Estados Unidos e sede em Pittsburgh, cujos seguidores adoram o Deus apresentado na Bíblia, tratando-o pelo nome de Jeová. Juntam-se anualmente numa grande convenção onde discutem assuntos como o de que Jesus teria morrido numa estaca e não numa cruz, que a alma não sobrevive à morte e sobre a recusa em aceitar transfusões de sangue, e o apoio à distribuição e venda livre de armas, de que Pittsburgh foi um importante centro de fabrico.

Em comum estas duas cimeiras têm a utilização de tecnologia. As testemunhas de Jeová, ao contrário do que seria de supor, chegaram a Lisboa em aviões equipados com a mais moderna parafernália tecnológica, computadores, radares, reactores e não numa caravana de camelos. Instalaram-se em hotéis com elevadores, ar condicionado, televisão a cores e não numa tenda. Fizeram reservas pela internet. Aliviaram as suas necessidades fisiológicas em casas de banho com sanita e autoclismo e não agachados nas areias de um deserto bíblico, limparam o traseiro a papéis fino e não às mãos. Falaram uns com os outros com telemóveis e os membros do corpo governante difundiram as suas mensagens através das redes sociais.

Aparentemente o mundo da razão, da ciência teria ganho ao mundo da fé, da crença. Aparentemente o mundo da utilidade, do que funciona, teria ganho ao mundo do que parece não ser comprovado, da não relação entre causas e efeitos.

Aparentemente. Na realidade o que funciona é a ilusão. Os crentes de todas as religiões consideram as tecnologias, da moca ao raio laser, ferramentas da razão que os cientistas da Websummit  desenvolvem,  como prova de que foram a fé e um Deus que as criou para provar a sua existência – a mais egoísta das provas da existência de Deus – e, no último caso, levar os crentes para o paraíso, a prova da perversidade de Deus, que obriga  a maioria dos seus filhos à tortura da dor, e dos sacrifícios, até das calamidades antes de os mandar para umas prometidas férias eternas em local a designar, se aguentarem com fé as provações a que os sujeitou.

Apesar destas evidências, ou questões, os crentes de todos os deuses afirmam que o seu deus salva. Os deuses são sempre salvadores. É essa mensagem que a aparelhagem de som do Estádio da Luz difunde às Testemunhas de Jeová e as do Estádio do Restelo às dos “Iurdos” do bispo Macedo. Pouco dizem do que os salva. Quando muito adiantam que os salvam dos males do mundo, isto é dos homens, no máximo, por isso as Testemunhas de Jeová, em vez de irem procurar a salvação a Jerusalém, à Síria, aos desertos do Médio Oriente, onde Jeová colocou a maior concentração mundial de armas e artefactos tecnológicos de mandar humanos para os vários paraísos à disposição dos crentes, desde logo os dele, Jeová, mas também os do Alá, preferem salvar-se nas amenidades de Lisboa, onde o maior perigo é o de carteiristas!

Não deixa de ser surpreendente que a inteligência artificial seja um dos grandes temas do congresso tecnológico da Websummit e os seus tecnológicos promotores não se tenham apercebido que ela já está desenvolvida e instalada entre estas organizações da Fé. O motor de busca das Testemunhas de Jeová, dos “Iurdos”, e outros, os seus Trivago e Booking encontra sempre as melhores propostas de paraíso. Nunca os envia para hotéis em Gaza, na Palestina, por exemplo, nem para Bagdad, nas margens do Tigre e do Eufrates por onde andou Abraão e também recentemente as tropas da coligação de Bush e Blair. Já para Lisboa há vagas. Inteligência pura!

A Fé funciona. É mesmo a mais eficaz funcionalidade do espírito humano. Os engenheiros e investigadores da Websummit no Pavilhão Atlântico em Lisboa mais não fazem que fornecer ferramentas para os grandes centros da Fé, sejam o Vaticano e respectiva a praça de São Pedro, seja Meca, sejam os bunkers do quartel-general do Exército Israelita, o Pentágono, o Kremlin e a  Praça Vermelha, ou até no Estádio do Benfica.

Se o governo português e a câmara municipal de Lisboa tiverem de optar entre a Websummit e um congresso das testemunhas do Jeová, ou dos “Iurdos”, escolham este.

Se as famílias tiverem de optar entre mandar um filho ou filha para as novas tecnologias, escolham as novas tecnologias da fé, a inteligência artificial da Bíblia, por exemplo…


Receba regularmente a nossa newsletter

Contorne a censura subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorSer ou não ser feliz
Próximo artigoNa hora da transição
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -