Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Dezembro 9, 2021

Ser ou não ser feliz

Se é verdade que o ser feliz passa também por uma questão de atitude perante a vida, e que há quem seja feliz com pouco, havendo quem tenha tudo e esteja sempre insatisfeito, certo também é que ser/estar feliz depende igualmente de fatores e circunstâncias externas que interferem diretamente com o estado da nossa alma e do nosso bem estar, físico e emocional.

Clarice Lispector

As pessoas que se comprazem no sofrimento, que gostam de sentir-se infelizes e fazer os outros infelizes, jamais poderão orgulhar-se de sua beleza. O mau humor, o sentimento de frustração, a amargura marcam a fisionomia, apagam o brilho dos olhos, cavam sulcos na face mais jovem, enfeiam qualquer rosto. Essa é a razão por que a mulher, que cultiva a beleza, deve esforçar-se para ser feliz. Felicidade é estado de alma, é atmosfera, não depende de factos ou circunstâncias externas.”

Se é verdade que o ser feliz passa também por uma questão de atitude perante a vida, e que há quem seja feliz com pouco, havendo quem tenha tudo e esteja sempre insatisfeito, certo também é que ser/estar feliz depende igualmente de fatores e circunstâncias externas que interferem diretamente com o estado da nossa alma e do nosso bem estar, físico e emocional.

Uma doença que surge, um ente querido que parte, um filho problemático, um desemprego que chega sem avisar, são circunstâncias concretas, reais, que levam à infelicidade, e muitas das vezes ao desespero de não se vislumbrar uma réstia de luz de esperança. Nem sempre, pois, a felicidade é estado de alma ou atmosfera que independem de factos externos, parafraseando Clarice. Ao contrário, ela está ligada a esses fatores externos que conduzem a um estado geral de ventura e de bem-aventurança.

Contudo, há pessoas que não tendo por que se lamentar, fazem do sofrimento o seu estado natural, infernizando a vida de quem as rodeia ou com elas convivem, e mal podem com uma vida alegre e de boa disposição. Vivem amarfanhadas na sua amargura e no seu mau humor, e ninguém consegue passar brilho e beleza quem assim vive. Quando se está feliz, há brilho no olhar, há beleza na alma que se espelha no corpo. Cultivar a infelicidade, é, ao contrário, cavar – voluntariamente – uma sepultura para si mesma.

A vida passa, e passa rapidamente para todos. Um esforço para se ser feliz e essa felicidade se refletir em todo o ser, é um esforço a valer a pena. Que trará e atrairá o melhor que a vida e os outros têm para nos oferecer. Bastará estarmos dispostos. E disponíveis.


Por opção do autor, este artigo respeita o AO90


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -