Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Dezembro 5, 2021

Sanders vence e aproxima-se de Clinton, Trump continua a somar vitórias

Bernie_Sanders_by_Gage_Skidmore
O pré-candidato democrata à Casa Branca, Bernie Sanders, venceu esta Terça-Feira as eleições primárias no estado do Michigan, mas ficou atrás da sua rival, Hillary Clinton, no estado do Mississipi. O New York Times revela que o senador do Vermont teve 50% dos votos no Michigan, elegendo assim 69 delegados, enquanto Clinton ganhou no Mississippi com 83%, elegendo 87 delegados.

Do lado republicano, também decorreram primárias: Donald Trump ficou à frente nos estados do Havai (42%), Michigan (37%), Mississippi (47%); o seu rival Ted Cruz ganhou no estado do Idaho com 45% dos votos. Já Marco Rubio conquistou 16% no mesmo estado, a percentagem mais alta, e John Kasich teve 24% dos votos no estado do Michigan.

Esta vitória de Sanders é vista como uma ameaça à posição consolidada da ex-primeira-dama na corrida para a nomeação do Partido Democrata: não só Clinton tem perdido eleitores entre os afro-americanos, como as opiniões fundamentadas e persistentes do senador do Vermont contra os acordos de comércio livre parecem agradar ao público.

O The Guardian citou o próprio candidato, no seu discurso aos apoiantes. “ significa que a revolução do povo de que falamos é forte, em todas as partes do país, e francamente, acreditamos que as nossas mais fortes áreas estão para acontecer”, declarou o político. Sanders agradeceu ainda aos eleitores do Michigan, “que repudiaram os comentadores que diziam ‘Bernie Sanders não vai a lado nenhum’”.

Recorde-se que Bernie Sanders opõe-se com veemência aos acordos de comércio livre, alegando, citado pela CNN, que estes “dizimaram comunidade atrás de comunidade no Midwest e por toda a América”. “Ajudei a liderar a oposição a cada um destes desastrosos porque eu sabia o que podiam fazer”, acrescentou.

Por sua vez, no discurso aos apoiantes, a ex-primeira-dama frisou, citada pelo New York Times: “Se em breve eu for a vossa nomeada , mais depressa poderei focar-me nos republicanos”. Voltando as atenções mais nos adversários do partido rival e omitindo os resultados nos estados de Mississippi ou Michigan, Clinton insistiu que concorrer à presidência dos EUA “não devia ser distribuir insultos, deveria ser apresentar resultados”.

Do lado republicano, o bilionário Trump insistiu num discurso vitorioso, depois de um revés ainda que ligeiro frente ao seu principal rival, Ted Cruz. Trump voltou a falar da suposta campanha “de milhões de dólares” dos seus principais opositores, cheia de “mentiras horríveis” para o descredibilizar, e disse sobre Cruz: “ele raramente me vence”.

Seguem-se, a 12 de Março, eleições primárias no território de Guam e no distrito de Columbia (Partido Republicano) e nas Marianas (Democrata). Dia 15, é a vez dos estados da Florida, Illinois, Missouri, Carolina do Norte, o caucus republicano no arquipélago das Marianas e no estado do Ohio.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -