Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Fevereiro 24, 2024

“Família de Saltimbancos”

Guilherme Antunes
Guilherme Antunes
Licenciado em História de Arte | UNL

familia-saltimbancos

A obra-prima do chamado “Período Rosa” (1904-05). A paleta aclara-se, suaviza-se, ganha indiscutível lirismo. A visão que o artista passa a ter do mundo é menos sombria, finalmente, desde a morte do seu amigo Casagemas.

Transparece uma elegância harmoniosa e despreocupada alegria na representação de acrobatas, saltimbancos ou equilibristas. Esta atmosfera rosácea é equilibrada, serena e colorida, pelo que forma um conjunto plástico cheio de ritmo.

Nota da Edição

picassoPablo Picasso (1881-1973)
Pintor espanhol. “A Pomba da Paz”, “Guernica”, “Les Demoiselles d’Avignon”, são algumas das suas obras mais importantes. Foi um dos criadores do “Cubismo”, um dos maiores movimentos de arte do século XX.

Filho do pintor e professor de desenho José Ruiz Blasco e de Maria Picasso y López. Logo cedo mostrou o seu talento para as artes. Os seus primeiros desenhos representavam touradas.

Em 1896 a família muda-se para Barcelona, onde Dom José aluga um estúdio para o filho. Nesse mesmo ano, sua tela “Primeira Comunhão” é aceite pela Exposição Municipal de Barcelona. Outro quadro “Dois Patos” é enviado pelo pai para uma exposição em Málaga, recebendo o primeiro prémio do pintor.

Em 1897 Pablo Picasso entra na Academia Real de San Fernando, em Madrid, mas logo depois abandona o curso e volta para Barcelona. Em 1900 vai a Paris e em 24 de Junho de 1901, inaugura a sua primeira exposição. Adopta nas suas obras o estilo impressionista, entre elas: “As Vendedoras de Flores” e “Margot”.

Toda a obra de Pablo Picasso atravessa diversos “estilos e fases”, rompe com as coloridas oscilações do momento captado ao vivo e sua pintura passa a ser monocromática, é a “fase azul” (1901-1904), é o azul da tristeza, da condição humana que descobre nas ruelas de Paris, entre elas: “A Vida” (1903) e “Velho Guitarrista” (1903). Aos poucos, liberta-se, frequentando os mais ousados círculos artísticos e literários de Paris. Entra na “fase rosa” (1904-1906), são dessa fase: “Nu Sentado” (1905) e Boy Leading a House (1906), entre outras.

Em 1906, a sua obra entra em nova fase, marcada pela influência da arte grega, ibérica e africana. É a fase do cubismo, onde prevalecem os motivos totalmente fragmentados e atravessa diversas etapas, destacam-se: “Le Demoiselles d’Avignon” (1907), “Nu” (1910), “O Poeta” (1911), “O Aficionado” (1912) e “Copos e Garrafas” (1913).

Durante a Segunda Guerra Mundial, Picasso vai para Roma, casa-se com a bailarina Olga Khokhlova, muda o seu modo de vida e faz opção pelo neoclássico. Pinta ”O Retrato de Olga na Poltrona” (1917), “Pablo Vestido de Arlequim” (1924), entre outras.

Em 1937 durante a Guerra Civil Espanhola, aviões alemães bombardeiam a cidade basca de Guernica. Poucas semanas depois, Picasso começa a pintar o enorme mural em estilo impressionista “Guernica”. Foram dois meses de trabalho, onde ele expressa a violência e a crueldade do bombardeio usando imagens como o touro, o cavalo, o guerreiro caído, a mãe com seu filho morto e uma mulher presa no seu prédio em chamas. A obra foi exibida no pavilhão espanhol, na Exposição Internacional de Paris. A pintura permaneceu no Museu de Arte Moderna de Paris de 1939 a 1981, até ser levada para Espanha. Encontra-se exposta no Museu Nacional de Arte Rainha Sofia, em Madrid.

Em 1949, a Pomba de Picasso é usada em cartaz do Congresso pela Paz de Paris e torna-se símbolo universal.

Além de pinturas, Pablo Picasso também trabalhou em centenas de litografias, cerâmicas e esculturas. Em 1968, com 87 anos, produziu em sete meses, uma série de 347 gravuras, voltando a temas como o circo, o teatro, as touradas e o erotismo. Picasso casou várias vezes e as suas produções artísticas estavam sempre intrinsicamente ligadas a cada novo relacionamento. Os seus 90 anos foram comemorados com uma exposição especial no Museu do Louvre, em Paris.

Pablo Picasso faleceu em Notre-Dame-de Vie, em Mougins, na França, no dia 08 de Abril de 1973. Dois dias depois, foi enterrado no castelo de Vauvenargues.

Fonte: ebiografia.com

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -