A Ideia de Negócio

0
538

Quando se pensa em abrir um negócio, há uma série de fatores que têm de ser levados em conta, para que a ideia de negócio saia do papel e consiga sucesso.
A base do empreendedorismo é a conversão de ideias em novas empresas, evidentemente que a criatividade, a inovação e o assumir os riscos são importantes, mas também o é a capacidade de implementar efetivamente a sua ideia de negócio.

De onde surgem as ideias

Uma ideia é uma representação mental de algo concreto ou abstrato, um conceito ou uma invenção. Todos nós já tivemos ou teremos ideias “brilhantes” que ao vê-las realizadas por outros dizemos “eu já tinha pensado nisto”, mas o fato é que não dedicamos algum tempo a apontar, a pensar, a escrever, ou a avaliar essa ideia a ver se existe uma oportunidade que podemos explorar. As oportunidades de negócio estão por todo o lado e esperam por um empreendedor para as identificar e aproveitar.

Importante referir que a maioria das ideias se direciona a um, ou a vários, de três aspetos:

Figura 3 – Ideia de Negócio.
Fonte: Do autor (2017).

 

  1. Novo Mercado: muitos empreendedores lançam-se com um produto ou serviço que não é novo no Mundo, mas é novo para o segmento alvo do mercado a quem se dirige numa nova localização geográfica;
  2.  Nova tecnologia: alguns novos negócios baseiam-se em novas tecnologias aplicadas ao processo de produção ou aos produtos;
  3. Novo Benefício: alguns empreendedores inovam na forma de oferecer um produto ou prestar um serviço, o que implica oferecer algum novo benefício aos clientes.

 

A ideia é o ponto de partida para o desenvolvimento de um negócio. Numa perspetiva muito genérica, uma ideia surge como resposta a uma necessidade identificada.

O mercado permite detetar uma necessidade, mas não define o produto de que necessita. A visão empreendedora vai revelar-se na capacidade de detetar uma necessidade e desenvolver uma solução ou produto para a satisfazer.

Uma ideia pode surgir num momento inesperado, partindo das mais diversas fontes e contextos, as ideias de negócio surgem de muitos lados e de muitas fontes, surgem de uma simples conversa com colegas, de experiências pessoais e de trabalho, da leitura de revistas ou jornais. É normal que numa fase inicial as ideias sejam muito vagas, mas servem como farol para a procura de mais informação, de modo a serem analisadas pelo empreendedor e assim conseguir dar corpo à ideia e desenvolve-la:

  • Identificar necessidades ou deficiências: através da pesquisa de necessidades não satisfeitas e produtos passiveis de sofrer melhorias.
  • Observar tendências: estudar o mercado e observar tendências sejam elas locais, regionais, nacionais ou internacionais.
  • Procurar novas aplicações: monitorizar produtos/serviços quer já existam e adequa-los a novos uso.
  • Hobbies: através de hobbies insuspeitos, podem ser identificadas necessidades de mercado que vale a pena colmatar.
  • Observar o sucesso de outros: muitas empresas posicionam-se muito perto de outras que já existem, isto é, imitam o sucesso das outras. Contudo é importante analisar bem o que se está a fazer, qual a tecnologia do mercado e a fonte de valor acrescentado que oferece ao cliente. No fundo isto passará por analisar porquê a empresa está a ser bem-sucedida e onde é que o empreendedor poderá introduzir alguma forma de diferenciação.
  • Derivação da ocupação atual: muitos empreendedores deixam o seu trabalho para iniciar uma empresa no mesmo setor e área de atividade.
  • Aposta na investigação e desenvolvimento: Outra das formas de desenvolver uma ideia de negócio, é através da investigação e desenvolvimento de novos produtos.

 

Validação da Ideia

Quando existe uma ideia de negócio é muito importante que esta seja validada, pois irá permitir ao empreendedor perceber se vale a pena iniciar o seu projeto, ou se por outro lado, não existem condições para o sucesso da mesma.

A avaliação da viabilidade de uma ideia deve ser feita tendo em conta duas perspetivas:

Figura 4 – Validação Ideia.
Fonte: Do autor (2017).

 

Viabilidade técnica

  • Confirmar a detenção ou disponibilidade de know-how para construir a solução.
  • Descrever detalhadamente o processo de construção da solução.
  • Confirmar a existência e acessibilidades dos equipamentos capazes de construir a solução.
  • Confirmar a existência e acessibilidade das instalações necessárias à implementação do projeto.
  • Confirmar se a solução tem capacidade de competir com as soluções concorrentes.
  • Verificar pontos fortes e fracos da solução em comparação com a concorrência.

  

Viabilidade Económica

As oportunidades de negócio resultam de necessidades não satisfeitas ou que podem ser satisfeitas de uma forma diferente e melhorada, relativamente à solução existente.

Nesta fase, o empreendedor deve garantir que existe mercado para a solução encontrada. Deve ainda assegurar que o mercado está disponível para aderir à solução e que tem dimensão suficiente para viabilizar o negócio.

Os diferentes tipos de oportunidades de mercado podem ser sintetizados em 3 vetores:

  • Novos produtos– Identificação de uma solução para uma necessidade não satisfeita, à qual corresponde um mercado suficientemente amplo e com poder de compra.
  • Produtos melhorados-Já existem soluções de negócio semelhantes, que tem boa aceitação de mercado, mas não foram identificados alguns benefícios/vantagens que o mercado valoriza, introdução de uma solução que garanta pelo menos temporariamente uma vantagem competitiva.
  • Produtos complementares– Lançamento de um novo produto melhorado, ou introduzindo outros produtos que o complementem.

 

Qual o meu mercado alvo

Quando se pensa em abrir um negócio, há uma série de fatores que têm de ser levados em conta, para que a ideia de negócio saia do papel e consiga sucesso.

Um dos fatores mais importantes é a definição do público-alvo. Dependendo do tipo de negócio que se pretende implementar, pode ser importante identificar desde a faixa etária, o sexo, o nível de rendimento, estado civil, se têm filhos e quantos. Com estas informações o empreendedor deve delimitar a parcela desse publico para a qual valerá a pena dedicar maior atenção, pois não os conseguirá atender a todos da mesma maneira.

O lançamento de qualquer ideia de negócio sem um prévio estudo de quem será o nosso publico alvo, faz com que o empreendedor assuma riscos que podem afetar de forma bastante negativa o seu negócio, para tal é necessário que siga os seguintes passos:

  • Pesquisar: É importante que o empreendedor conheça muito bem o mercado que pretende atingir, quantos mais detalhes, melhor. É uma região de imóveis residenciais ou comerciais? Existem mais edifícios ou casas? Qual a faixa etária predominante? qual o valor da renda?
  • Definir o meu público-alvo: Agora que já sabe quem é quem no mercado onde pretende atuar, não tente agradar a todos, pois pode correr o risco de não agradar a ninguém. Delimite um grupo específico no qual valerá a pena focar os seus esforços, cruzando a informações e identificando o que será mais vantajoso para o seu negócio.
  • Oferta: Nesta fase e com o público-alvo definido só tem de prepara a sua oferta de maneira que atenda o máximo possível as suas necessidades.
  • Definir estratégia de comunicação: Tudo depende do tipo de negócio e do publico alvo a que se pretende chegar. Procure identificar os principais canais através dos quais seria possível comunicar com os seus clientes e defina ações para eles.

__

Por opção do autor, este artigo respeita o AO90