Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Outubro 16, 2021

Live une artistas para levar testes de Covid-19 para os povos indígenas

Marcos Aurélio Ruy, em São Paulo
Jornalista, assessor do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo

Neste sábado (8)

A transmissão do Festival Demarcação Já Remix, em defesa da vida dos povos indígenas será pelo canal do YouTube de Gilberto Gil, neste sábado (8), às 20h. Além de Gil já têm participação confirmada Chico César, Criolo, DJ MAM, Margareth Menezes, Ernesto Neto, Oskar Metsavaht, Letícia Sabatella, Sônia Guajajara e Djuena Tikuna.

A live promoverá arrecadação de fundos para a compra de testes rápidos da Covid-19 a serem encaminhados à aldeias de povos indígenas pelo Projeto Bora Testar. O coral indígena Guarani Tenonderã da aldeia Sapukai abrirá a live com canções em sua língua nativa.

Durante o festival ocorrerão depoimentos, exposição de artes visuais, trechos de filmes e vídeos sobre os povos indígenas, que são 305 no Brasil, segundo a Fundação Nacional do Índio (Funai), atualmente comandada pelo desgoverno de Jair Bolsonaro, que se omite na obrigação do Estado em proteger esses povos.

De acordo com a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) até a sexta-feira (7) haviam sido infectados pelo coronavírus 23.038 entres os aproximadamente 900 mil indígenas do país. Já foram a óbito 646 de 148 povos atingidos pela doença. Segundo a Apib, a maioria foi contaminada por pessoas que entraram nas terras indígenas, muitos indevidamente, por meio de invasões.

Vídeo da música Demarcação Já, de Carlos Rennó e Chico César

Atendendo a uma medida cautelar de arguição, impetrada pela Apib e por seis partidos (PSB, PDT, PT, PSol, Rede e PCdoB), o Supremo Tribunal Federal (STF) ratificou a liminar determinada pelo ministro Luís Roberto Barroso, em 8 de julho, obrigando o governo a tomar as medidas necessárias de proteção aos povos indígenas durante a pandemia.

O Brasil está sofrendo gravíssimos prejuízos, inclusive econômicos, na medida em que estamos permitindo a devastação da última reserva florestal da humanidade”.

O STF determina a criação de uma sala de situação para gerenciar o combate à pandemia entre esses povos com participação de indígenas, a fixação de barreiras sanitárias para impedir invasores nas terras desses povos e a determinação para a Secretaria de Saúde Indígena (Sesai), atender a todos os indígenas, incluindo os que estão em cidades e em terras não demarcadas. Foram dados 30 dias para o governo federal apresentar um plano, que deve seguir uma série de determinações do STF, como ter o apoio técnico da Fiocruz no planejamento das ações preventivas e de atendimento.

O Projeto Bora Testar foi criado para prestar atendimento às comunidades vulneráveis, desassistidas pelo Estado em perigo constante de contágio pela Covid-19, como favelas, aldeias indígenas, comunidades quilombolas e periferias das grandes cidades.

Estar em casa e ter a primazia de acompanhar um espetáculo com essa grandiosidade não tem preço. Ainda mais por uma causa tão justa como a defesa dos direitos dos povos indígenas a uma vida decente, sem invasores em suas terras e sem doenças causadas por atitudes inconsequentes de um desgoverno sem nenhum propósito.

Para contribuir, com qualquer valor a partir de R$ 10, basta acessar a plataforma de arrecadação. Preste a sua solidariedade e salve vidas.


Texto em português do Brasil


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -