Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Agosto 14, 2022

O que foi o repórter lá fazer?

Estrela Serrano
Estrela Serranohttps://vaievem.wordpress.com/
Professora de Jornalismo e Comunicação

Uma denúncia de agressões sexuais a uma criança numa escola básica em Lisboa culminou esta quinta-feira em confrontos entre famílias de duas crianças – a do alegado agressor, de 12 anos, e da vítima, de nove.
Segundo a notícia, um repórter da RTP foi hoje violentamente agredido por familiares dos alunos tendo necessitado de tratamento hospitalar.

A RTP não adiantou quais os motivos da agressão nem explicou qual era o objectivo da reportagem. Tratando-se de duas crianças uma das quais alegadamente vítima de “agressão sexual” certamente a RTP não estaria à espera de filmar as crianças envolvidas ou os seus familiares. Pelo que não se ficou a saber que tipo de reportagem a RTP esperava fazer.

A pancadaria que a sua presença, pelos vistos, desencadeou da parte dos familiares das crianças tornou-se afinal o assunto da reportagem. Antes isso do que assistirmos à exibição das próprias crianças vítimas ou agressores.

É evidente que qualquer violência sobre jornalistas é deplorável ainda mais quando se encontram no exercício de funções. Certamente o repórter agredido não fez mais do que recolher imagens de quem por ali se encontrava.

Mas tratando-se de assunto tão grave e delicado, como a agressão sexual envolvendo crianças, a recolha de imagens era absolutamente interdita. A lei de protecção de menores proíbe a exibição de imagens de vítimas de agressões sexuais e a RTP não desconhece as restrições impostas em situações envolvendo menores.

Daí que não se tenha percebido o que levou a RTP a deslocar-se com uma câmara à escola onde uma criança de 12 anos agrediu alegadamente outra de nove e filmar agredidos e agressores. Como seria de esperar, acabou agredida.

A reportagem acabou por ser a agressão à própria RTP.

Artigo publicado originalmente no blog VAI E VEM

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -