Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Julho 6, 2022

Obscenidades III

José Pacheco
José Pacheco
Educador e aprendiz de utopias.

Não terão lido autores que, à semelhança de Lauro de Oliveira Lima, criticam a “pedagogia predial”?

Relativamente a Monsanto: saberão o significado de avaliação formativa, contínua e sistemática? À luz da ciência produzida, desde há um século, a expressão “reprovar por faltas” é uma obscenidade.

Serão analfabetos funcionais? Certamente, terão lido o artigo 48 da Lei de Bases, mas foram incapazes de interpretar o seu significado.

Há cerca de uma dúzia de anos e com burocráticos argumentos, um ministro de má memória tentou destruir o projecto da Escola da Ponte. Os sindicatos, a universidade e a sociedade civil impediram que essa obscenidade ministerial obtivesse êxito.

Na presente situação, os professores portugueses permitiram que o autoritarismo imperasse e que critérios de natureza pedagógica fossem desprezados.

Permaneceram apáticos. Mais uma vez, nada fizeram para acabar com a impunidade.
É estranho e pesado esse obsceno silêncio dos professores.

Leia  Obscenidades   Parte 1/3

Leia  Obscenidades   Parte 2/3

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

Boa pergunta

VER…

Além Tejo (1)

- Publicidade -