Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Maio 24, 2022

Olivença, força que não se explica

Carlos Luna, em Estremoz
Carlos Luna, em Estremoz
Professor de História, Investigador

Soneto de Carlos Eduardo da Cruz Luna

Olivença, força que não se explica

B’leza contida, porque não falada,
terno caráter, mais que comedido,
sempre discreta, ‘inda qu’ afamada,
traço de segredo, sempr’ escondido.

Assim és, Olivença, desejada,
sonho de poeta nunca contido,
entre tantas outras a mais amada,
amor qu’ a bem poucos é concedido…

Com o nome d’ oliveira nasceste,
e foste sempre lançando raízes,
a força qu’ explica quanto cesceste…

Brilhas na terra com tantos matizes
das cores qu’ em ti mesmo concebeste
que nem vês o valor do que nos dizes…!

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorNão quero falar contigo
Próximo artigoSentada
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -