Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Abril 14, 2024

Principais grupos étnicos e línguas

M. Azancot de Menezes
M. Azancot de Menezes
PhD em Educação / Universidade de Lisboa. Timor-Leste

Principais grupos étnicos e línguas de Timor-Leste

O primeiro tétum, o tétum-terik, já se havia estabelecido antes da colonização portuguesa. Com a chegada dos portugueses à ilha, o tétum-terik apodera-se de vocábulos portugueses e malaieses e integra-se no léxico, tornando-se uma língua crioula e simplificada – nasce o tétum praça (Atlas de Timor, 2002).

Foi essencialmente devido à necessidade de se concretizarem trocas comerciais entre os povos que houve o estabelecimento de línguas francas

Segundo Cinatti, 1987, Thomaz, 2002 et al, existem 11 línguas maternas, as mais conhecidas, mas podem-se encontrar mais de 15 línguas diferentes, e que resultam da «diversidade geográfica da ilha, às guerras internas e à consequente integração de subgrupos em outros grupos étnico-linguísticos». Tudo isto terá contribuído para a diversidade cultural e linguística do território, pois, é preciso ter em devida atenção que «a ilha de Timor foi, primeiramente, povoada pelos povos Papua, cerca de 7000 a.C., e pelos povos austronésios, aproximadamente 2000 a,C., tendo sido posteriormente abordada por outros povos em migração entre a Ásia e a Austrália e o arquipélago do Pacífico».

Línguas de Timor-Leste

Há estudos que mostram a evolução das principais línguas maternas de Timor-Leste. De acordo com Cinatti (1987), Thomaz (2002) et al, citados no Atlas de Timor-Leste (2002), em 2001 a língua mais falada era o tétum (22.5%), seguindo-se o Mambae (20%), o Makasai (13%), o Búnak (7%) e com menos de 5% o Baiqueno, o Kêmak, o Fatalúku, o Tocodede, o Uaimoa, o Tétum-teric e o Galóli. Entre 1961 e 1975, o Mambae era falado por quase 30% da população.

Na parte mais a leste do país predominam as línguas maternas com “afinidades” papua, nomeadamente o Makasai, Búnak, Fatalúku, Macalero e outras línguas. Na parte mais ocidental do país predominam o Tétum, o Mambae, o Quémaque, o Tocodede, o Baiqueno, o Galólen, o Nau´oti, o Uaimua e o Bahasa Indonésio (Atlas de Timor-Leste, 2012).

Hoje em dia o tétum é praticamente falado por toda a população, e também o Bahasa indonésio, por força da ocupação e das relações actuais comerciais e diplomáticas. As línguas bahasa indonésio e o inglês são aceites como línguas de trabalho. Segundo os dados do Censu de 2010, neste País com aproximadamente um milhão e cem mil habitantes, o Tétum é falado e escrito por 56% da população, o Bahasa é falado por 45.3%, o Português é falado por 25% e o Inglês por 14.6% dos timorenses.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -