Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Outubro 16, 2021

Rui Moreira quer tirar o Porto do Turismo do Porto e Norte de Portugal

Rui MoreiraEm declarações aos jornalistas à saída da reunião camarária da passada terça-feira, Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, admitiu pedir à Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal para retirar o nome da cidade da sua designação. Em causa estão divergências sobre a forma como a promoção do Porto é feita por aquela entidade, que Rui Moreira considera transmitirem “um Portugal bucólico, do galo de Barcelos e dos chouriços”.

“Não nos revemos na forma como a Entidade Regional de Turismo promove o Porto”, afirmou o autarca, acrescentando que a mesma entidade vai criar uma “agência para a promoção externa”, o que “entra em colisão com a Associação de Turismo do Porto”.

“Não sabemos se pode continuar a usar o nome Porto. A Entidade não reconhece ao Porto capacidade de ser âncora de uma região. E, se calhar, até é bom ter uma entidade que promove um Porto bucólico e outra que promove aquilo que a cidade quer ser, mais jovem, contemporânea e virada para o futuro”.

Estas divergências acontecem poucos dias depois do Instituto Nacional de Estatística (INE) ter divulgado que a hotelaria registou um aumento de 2,5% nas dormidas durante o mês de Agosto, comparativamente ao ano passado. Segundo os dados apresentados, o Norte foi a região que mais cresceu.

Vinhais e Barcelos reagem às declarações e Rui Moreira pede desculpa

Contudo, as declarações de Rui Moreira geraram alguma polémica com outros autarcas na região Norte, nomeadamente, com o presidente da Câmara de Vinhais, Américo Pereira, que divulgou esta quarta-feira uma carta onde classifica como “parolice” a utilização por Rui Moreira do fumeiro para contestar a promoção turística da região.

Também o autarca de Barcelos, Miguel Costa Gomes, criticou o “centralismo” e o “pedantismo atroz” do seu homólogo pelas “declarações infelizes” sobre o fumeiro e o galo de Barcelos. “Pior que o centralismo de Lisboa, é o centralismo do Porto”, acrescenta Miguel Costa Gomes.

Num comunicado enviado à Lusa, o presidente da Câmara do Porto já veio desculpar-se pelas declarações e defendeu que “ícones como o galo de Barcelos, o fumeiro ou as tripas à moda do Porto, podem e devem ser usadas na promoção interna do destino”. “Contudo, isso não deve impedir o Porto de continuar, no âmbito da Associação de Turismo do Porto, a promover o destino turístico Porto e Norte no estrangeiro, como um destino contemporâneo, cultural, jovem e cosmopolita como tem vindo a fazer com o sucesso que é reconhecido por todos”, acrescenta o mesmo documento.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -