Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Agosto 5, 2021

Senti-me gota

Filipa Vera Jardim
Mantém o blogue literário “Chez George Sand” onde escreve regularmente.

Poema de Filipa Vera Jardim

Senti-me gota

Nasci em rio e riso. A correr de margem em margem.

Sorviam-se os olhos aquosos, à passagem célere.

Sabia-me tanto a fresco.

Debrucei-me…e vi-me enroscada no caudal. Aconchegante.

A viagem, espiralou-se, até  onde me parecia que  infinito podia esconder-se todo, num único copo transparente.

Sem querer, escorreguei pela canto de uma boca…e senti-me gota.


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorGosto muito
Próximo artigoPoesia em tempos de barbárie
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -