Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Novembro 28, 2021

Ser perseverante na vi(r)agem

Delmar Gonçalves, de Moçambique
De Quelimane, República de Moçambique. Presidente do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora (CEMD) e Coordenador Literário da Editorial Minerva. Venceu o Prémio de Literatura Juvenil Ferreira de Castro em 1987; o Galardão África Today em 2006; e o Prémio Lusofonia 2017.

Poemas de Delmar Maia Gonçalves

“Ser perseverante na vi(r)agem”

Era uma vez
um homem e uma casa
Cedo o visitou
Proserpina
e o Deus Baco
a destruiu
e foi roubada
ao vento
quando llhe ofereceu
vermes
com olhos de nenúfar
Nessa altura
o céu era cinzento
e dormiam os poetas
da sua aldeia
e até os Lobos uivavam
de tristeza
sem razão aparente
Um dia o sol nasceu
com a madrugada
e eis que nova aurora
com a bênção da Deusa Ceres
surgiu resplandecente nele
E cristalinas
e inspiradas as Deusas Minerva e Vênus
decidiram ajudá-lo
na empreitada
e a casa renasceu das cinzas
num lugar onde a chuva
são as ervas
e a floresta
está coberta
de musgo bom
Talvez os alicerces
ainda sejam ténues
Mas a vontade
encontrou raízes nele
Está decidido!
O cheiro deste céu
de terra húmida
será a sua morada
E vivem pássaros
dentro dele
que lhe querem voo
E o céu
nem sempre é cinzento!
Alguém duvida
que a poesia
é o aroma das flores
percorrendo a floresta?
Ou que as plantas
primeiro são semente
e só depois
se tornam folha e fruto?

 

“Vêde bem…”

Vêde bem vates
se tornam
vossos versos
vertebrados
articulados
livres
com a métrica
embrenhada nas palavras
e as palavras
entranhadas na verdade
E não olvideis jamais
a realidade vital
fazendo renascer a fé
nos que sucumbiram
encarnando nela!

 

III

Bem tentam
esmagar o poeta vertical
que em mim habita
conspurcando-o
julgando-o
rotulando-o
Mas jamais
silenciarão
a coerência visceral
que nele
encontra amparo.

 

IV

O que resta
ao poeta
se não viver
inconformado
e não vergado?

Embora
em voz silenciada
ninguém consegue
apagar a essência do verbo
no fogo da vida!

 

V

Compatriotas meus
Qual dos dois escolher?
Exílio e luta
chegaram juntos a minha casa.

 


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorNão foi
Próximo artigoQuando teu beijo aceito
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -